Israel inclui EUA e Canadá na “lista vermelha” que restringe viagens

O Governo de Israel incluiu hoje os Estados Unidos e o Canadá na “lista vermelha de viagens” como medida contra a propagação da variante Ómicron do SARS-CoV-2, da qual já constava Portugal.

As restrições de viagens impostas por Israel – numa lista aprovada hoje pelo Governo – incluem a maioria dos países africanos e ainda Portugal, Espanha, Grã-Bretanha, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Noruega, Suécia e Emirados Árabes Unidos.

Segundo uma nota do gabinete do primeiro-ministro, Naftali Benet, a medida entra em vigor às 00:00 de terça-feira e impede que os cidadãos israelitas viajem para estes países, salvo se tiverem uma autorização especial.

Os cidadãos que entretanto cheguem a Israel provenientes dos países incluídos na “lista vermelha” vão ser obrigados a cumprirem uma quarentena de entre uma semana e 10 dias, dependendo de estarem ou não vacinados.

A medida proposta pelo executivo deve ser aprovada pelo parlamento em breve.

Nas últimas semanas, o Estado de Israel tem sido afetado por novos casos da variante Ómicron do novo coronavírus.

Já foram detetados mais de 440 casos relativos à Ómicron.

A covid-19 provocou mais de 5,33 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Relacionadas

Israel proíbe cidadãos de viajar para Portugal

O governo israelita proibiu este domingo os seus cidadãos de viajar para vários países europeus na lista vermelha, incluindo Portugal, e admitiu que os Estados Unidos possam ser incluídos, para evitar a propagação da variante Ómicron da covid-19.
Recomendadas

Covid-19: Pandemia provocou mais 300 mil mortes na UE do que as oficiais, diz OCDE

“No final de outubro de 2022, mais de 1,1 milhões de mortes de covid-19 foram reportadas em todos os 27 países da UE, mas os dados sobre o excesso de mortalidade sugerem que se trata de uma subestimativa e que mais 300 mil pessoas morreram devido ao efeito direto ou indireto da pandemia”, refere o relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comissão Europeia (CE).

Covid-19: Problemas de saúde mental aumentaram na Europa, sobretudo nos jovens

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) explica no relatório comparativo da situação de saúde na Europa que, enquanto em 2019 a percentagem de jovens entre 15 e 24 anos com sintomas de depressão era de 6%, contra 7% nos adultos, com o coronavírus os números aumentaram em todos os países para os quais existem dados.

Covid-19: Várias cidades da China relaxam medidas de prevenção epidémica

Várias cidades chinesas estão a abolir algumas medidas de prevenção contra a Covid-19, sinalizando o fim gradual da estratégia ‘zero casos’, que manteve o país isolado durante quase três anos e afetou a economia.
Comentários