Joe Biden diz que prevaleceu “a vontade do povo” e que a democracia resistiu ao “abuso de poder”

“Os republicanos perderam no colégio Eleitoral e no voto popular” e o “Supremo Tribunal dos Estados Unidos deu um sinal claro a Donald Trump”, afirmou Biden, na segunda-feira à noite, após o colégio eleitoral norte-americano ter certificado a vitória eleitoral do candidato do Partido Democrata.

Joe Raedle/Getty Images

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou na segunda-feira à noite que a “democracia norte-americana funcionou” e que nos EUA, “o poder é concedido através do voto”, sendo o resultado eleitoral “a verdadeira vontade do povo”. “O estado de direito, a nossa Constituição e a vontade do povo prevaleceram”, disse Joe Biden.

Naquele que foi o primeiro discurso de Joe Biden depois de ter sido eleito pelo Colégio Eleitoral, a partir de Wilmington, no Estado do Delaware, o presidente eleito afirmou “a chama da democracia” norte-americana não é apagada pela pandemia ou pelo “abuso de poder”.

“A chama da democracia foi acesa há muito tempo neste país. Agora sabemos que nada, nem mesmo uma pandemia ou o abuso de poder, pode apagar essa chama”, acrescentou. Para Biden, “a integridade” das eleições foi preservada.

Embora não tenha referido nomes, Biden aludiu aos esforços do atual presidente dos EUA, Donald Trump, para anular o resultado eleitoral. Após as eleições de 3 de novembro, Trump e o Partido Republicano tentaram anular a vitória eleitoral de Biden nos tribunais. Mas o Supremo não aceitou as tentativas de impugnar os resultados. Ainda assim Trump continua a não aceitar a derrota.

“Os republicanos perderam no colégio Eleitoral e no voto popular” e o “Supremo Tribunal dos Estados Unidos deu um sinal claro a Donald Trump”, afirmou Biden, salientando que está na altura de “virar a página”.

A vitória eleitoral de Joe Biden foi na segunda-feira à noite ratificada pelo colégio eleitoral dos EUA, onde o candidato do Partido Democrata garantiu, para já, 302 votos em 538. Trump apenas assegurou 232 votos. Ainda falta conhecer a decisão dos delegados do Estado do Havai, embora o voto deva ser favorável a Biden, que ficará assim com 306 votos.

Para ser certificado como 46.º presidente dos EUA, Biden precisava apenas de 270 votos.

Relacionadas

Procurador-Geral dos EUA apresenta demissão a Donald Trump

O anúncio da renúncia de Barr ao cargo, através da publicação de Trump, aconteceu poucos minutos depois de a Califórnia ter atribuído os 55 votos daquele estado ao Presidente eleito, o democrata Joe Biden, que, com 302 votos até agora, viu a vitória nas presidenciais ratificada pelo Colégio Eleitoral dos EUA, ultrapassando o mínimo exigido de 270 votos em 538 para ser declarado oficialmente o Presidente.

Colégio eleitoral confirma vitória de Joe Biden nas eleições norte-americanas

O Colégio Eleitoral dos Estados Unidos da América (EUA) validou hoje a vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais, que com 302 votos ultrapassou o mínimo de 270 necessários para poder ser o 46.º Presidente norte-americano.

EUA: Colégio Eleitoral prestes a confirmar vitória de Joe Biden

O Colégio Eleitoral está reunido para confirmar formalmente a vitória do democrata Joe Biden. E mesmo que o ato continue, seguindo os fusos horários respetivos, já há poucas dúvidas sobre o desfecho.
Recomendadas

Trump pressionou investigadora a encontrar “a resposta certa” relativamente a suposta fraude eleitoral no estado da Geórgia

Numa chamada telefónica efetuada em dezembro, mas agora divulgada pelo Wall Street Journal, Trump pode ser ouvido a garantir à principal investigadora do gabinete da secretaria de Estado da Geórgia que esta seria “elogiada” caso encontrasse “a resposta certa” que provasse as suas insinuações de fraude. A chamada será agora analisada em duas investigações separadas, uma delas de natureza criminal.

Democratas dizem que ‘impeachment’ de Trump serve para garantir que “nenhum futuro presidente” volte a apelar à violência

Recorrendo a relatos policiais, de funcionários do Capitólio e a notícias de imprensa estrangeira, os democratas alegaam que Donald Trump foi o responsável pela invasão do Capitólio, tendo provocado danos políticos e sociais de longo prazo.

PremiumJoe Biden: Prioridades para lidar com a herança caótica dos Estados Unidos

Depois do veemente apelo à unidade face à grande perturbação que não acabou por Donald Trump sair da Casa Branca, o novo presidente tem tremendos desafios pela frente, tanto interna como externamente. Nenhum é de solução rápida e é por isso que Joe Biden tem de contar com todos – daí o apelo deixado no discurso de tomada de posse. A convergência entre democratas e republicanos é uma condição prévia, pelo menos no que diz respeito a alguns dossiês.
Comentários