José Félix Morgado sai do Montepio

O presidente da Caixa Económica está de saída da liderança da instituição.

O presidente da Caixa Económica Montepio Geral José Félix Morgado abandona a liderança do banco na sequência da mensagem de natal de hoje de Tomás Correia perante 1.000 associados da Associação Mutualista.

Tomás Correia anunciou no almoço de natal da Associação Mutualista Montepio Geral, que até ao Natal estaria fechado o acordo com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e na sequência dessa entrada haveria uma mudança de modelo de governo do banco e dos órgãos sociais. Isto apanhou de surpresa o presidente do banco, soube o Jornal Económico. Contactado José Félix Morgado não comentou.

Fonte oficial da Associação Mutualista diz que “a tomada de posição do Dr. Félix Morgado (de que sai em divergência) foi recebida com total surpresa. A ser verdade, esta declaração só responsabiliza quem a profere. A Associação Mutualista Montepio não tem qualquer outro comentário sobre este tema”.

José Félix Morgado vai sair da Caixa Económica Montepio Geral dentro de algumas semanas, no início do ano, avançou a SIC Notícias. A notícia de que a dona do Montepio não contava com o presidente do banco foi avançada em primeira mão pelo Jornal Económico.

A saída de José Félix Morgado da liderança da instituição ocorre na sequência de um longo braço-de-ferro com o presidente da Associação Mutualista do Montepio Geral, Tomás Correia. Tal como o Jornal Económico já tinha noticiado em primeira mão a 15 de setembro, a Associação Mutualista, que controla a Caixa Económica, pretende mudar a administração do banco.

Nos últimos meses, Tomás Correia tornou claro que não conta com José Félix Morgado para a nova fase do banco que, em setembro, passou a ser uma sociedade anónima, com o capital representado por ações. O argumento utilizado internamente por Tomás Correia é que José Félix Morgado “não tem o perfil social” alegadamente necessário para a nova vida do banco.

A Santa Casa vai entrar no capital do Montepio Geral até ao Natal comprando 10% por 200 milhões de euros. A Associação Mutualista comprometeu-se a fazer um aumento de capital no banco desse montante, de modo que esses 200 milhões serão transformados em capital do banco. Com esse aumento de capital a Santa Casa da Misericórdia dilui para 9,2%. Mas fica com dois administradores executivos no banco que terá uma novo CEO. O modelo de governo será o monista, com um Chairman e um CEO. Sendo que a comissão executiva emana do Conselho de Administração.

(atualizada)

Relacionadas

Santa Casa injeta 200 milhões no Montepio

A Santa Casa vai pagar 200 milhões à Associação Mutualista por 10% do Montepio, mas o banco deve fazer um aumento de capital nesse montante.

Santa Casa contrata Haitong para entrar no Montepio

O Montepio vai mudar estatutos para permitir a entrada de administradores não executivos. Carlos Álvares pode suceder a José Félix Morgado.

Associação Mutualista quer mudar administração do Montepio

Conselho Geral da Associação reúne terça-feira e prepara-se para discutir o futuro da administração do Montepio Geral. José Félix Morgado pode estar de saída.

Félix Morgado pede ao Banco de Portugal para investigar venda de crédito à Casa da Sorte

Montepio pede auditoria interna ao processo de recuperação de crédito da Casa da Sorte e quer que se avance com queixa-crime contra Pedro Laureano.

Montepio regista lucro de 20,4 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano

Lucro até setembro compara com prejuízos de 67,5 milhões de euros em igual período de 2016. O produto bancário core aumenta 15,0% atingindo 285,9 milhões, com a margem financeira a subir 13,3% e as comissões 19,3%. O aumento da margem financeira e das comissões ajudaram à melhoria do resultado líquido nos primeiros nove meses de 2017.

Banco de Portugal chama Tomás Correia e Félix Morgado

Depois do Conselho Geral da Associação Mutualista, Tomás Correia reuniu-se com Elisa Ferreira. José Félix Morgado também foi chamado ao BdP.
Recomendadas

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

Banco de Portugal mantém a zero a exigência aos bancos de um “reserva contracíclica de fundos próprios”

O Banco de Portugal revelou o tradicional comunicado sobre a reserva contracíclica de fundos próprios, desta vez relativa ao 4.º trimestre de 2022. O supervisor vai manter a dispensa de constituição de reserva contracíclica para a banca no quatro trimestre deste ano, à semelhança do que sucedeu nos anteriores.

Merlin Properties compra sede do Novobanco na Avenida da Liberdade por 112 milhões

A informação do comprador foi confirmada pela entidade bancária esta sexta-feira em comunicado, depois de já ter avançado com o valor do negócio nas últimas semanas.
Comentários