JPP: GESBA “não está a cumprir a sua missão” de aumentar rendimentos dos bananicultores da Madeira

O JPP voltou a lembrar que os bananicultores têm se queixado que a GESBA tem vindo a diminuir sucessivamente os seus rendimentos, apesar da distribuição da banana da Madeira ser vendida ao consumidor a “peso de ouro”.

O Juntos pelo Povo (JPP) voltou a criticar a Empresa de Gestão Do Sector Da Banana (GESBA) afirmando que, apesar da empresa pública ter sido criada para aumentar os rendimentos dos produtores da banana, não está a cumprir a sua missão. Em vez disso, diz que a GESBA está “distribuindo lucros milionários aos seus acionistas (Governo Regional e PATRIRAM), e deixando os produtores a olhar para os seus terrenos com pouca ou nenhuma vontade de manter esta produção”.

O partido solicitou recentemente um pedido de documentação à empresa pública GESBA, através da Secretaria Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural, para averiguar o preço real que a GESBA vende a banana aos diferentes intermediários. na documentação estão dois pedidos referentes aos custos de transportes de mercadorias e às faturas emitidas sobre a venda da banana do ano de 2021.

O JPP voltou a lembrar que os bananicultores têm se queixado que a GESBA tem vindo a diminuir sucessivamente os seus rendimentos, fator agravado pela escalada nos custos de produção “e que pouco ou nada se tem refletido naquilo que a empresa pública paga aos bananicultores”, apesar da distribuição da banana da Madeira ser vendida ao consumidor a “peso de ouro”.

“O JPP é o único partido que utiliza os pedidos de documentação no âmbito dos seus poderes de fiscalização, tendo por objetivo esclarecer objetivamente a opinião pública sobre os temas que não são divulgados pelo Governo. Neste caso, em particular, recordamos que, de acordo com as faturas fornecidas pelos produtores, há 15 anos um quilo de banana era mais bem paga pelo sector aos bananicultores”, conclui o partido.

Recomendadas

Madeira: Número de acidentes de trabalho diminuiu 24,4% em 2020

O sector da “Construção” concentra o maior número de acidentes, com 24% do total, seguido do sector do “Comércio por grosso e a retalho, reparação de veículos automóveis e motociclos”, com 16,5%.

Câmara do Funchal promove atividades lúdicas para celebrar Dia Internacional da Juventude

As atividades estarão a decorrer próxima sexta-feira à tarde, das 15ho0 às 18h00, no Parque de Santa Catarina. 

IL denuncia falta de resposta da Câmara do Funchal para problema de ruído na Zona Velha

Nuno Morna frisa que há dois meses o partido pediu uma audiência a várias entidades, nomeadamente o Presidente da Câmara do Funchal, Inspeção das Atividades Económicas (ARAE), Comando Regional da PSP Madeira e Provedoria de Justiça, onde pretendia apresentar e clarificar questões sobre a situação do ruído da Zona Velha.
Comentários