Kim Jong Un ameaça usar armas nucleares devido a tensões com Estados Unidos

“As nossas forças armadas estão completamente preparadas para responder a qualquer crise”, garantiu o presidente norte coreano.

KCNA KCNA/Reuters

O líder norte-coreano Kim Jong Un alertou, esta quinta-feira, que está pronto a usar armas nucleares em potenciais conflitos militares com os Estados Unidos e a Coreia do Sul.

“As nossas forças armadas estão completamente preparadas para responder a qualquer crise, e o dissuasor de guerra nuclear do nosso país também está pronto para mobilizar o poder absoluto com obediência, precisão e rapidez de acordo com sua missão”, disse Kim Jong Un, citado pela “Associated Press”, durante celebração do 69º aniversário do fim da Guerra da Coreia de 1950-53.

O presidente norte-coreano acusou os Estados Unidos de fazerem da Coreia do Norte um “demónio” de forma a justificar suas políticas hostis. Kim disse que os exercícios militares regulares EUA-Coreia do Sul que alega ter como alvo o Norte destacam os “padrões duplos” dos EUA e aspetos “semelhantes a gangsters”.

Kim também alegou que o novo governo sul-coreano do presidente Yoon Suk Yeol é liderado por “maníacos de confronto” e “gângsteres” que foram além dos governos conservadores sul-coreanos anteriores. Desde que assumiu o cargo, em maio, o governo Yoon se moveu-se no sentido de fortalecer a aliança militar de Seul com os Estados Unidos.

“Falar sobre ação militar contra a nossa nação, que possui armas absolutas que eles mais temem, é absurdo e é uma ação suicida muito perigosa”, disse Kim, acrescentando que “uma tentativa tão perigosa será imediatamente punida pela nossa poderosa força e o governo Yoon Suk Yeol e seus militares serão aniquilados”.

Já em abril Kim Jong Un tinha ameaçado utilizar força nuclear caso a Coreia do Norte fosse ameaçada.

A Coreia do Sul expressou “profundo pesar” pela ameaça de Kim e disse que mantém prontidão para lidar com qualquer provocação da Coreia do Norte de “uma maneira poderosa e eficaz”.

Num comunicado lido pelo porta-voz Kang In-sun, o escritório de segurança nacional presidencial de Yoon disse que a Coreia do Sul vai proteger a segurança nacional e a segurança dos cidadãos com base numa sólida aliança com os Estados Unidos. O gabinete de Yoon instou a Coreia do Norte a retornar às negociações para tomar medidas em direção à desnuclearização.

Também o Ministério da Defesa da Coreia do Sul reafirmou a sua posição anterior de que está a aumentar a sua capacidade militar e postura de defesa conjunta com os Estados Unidos para lidar com as crescentes ameaças nucleares norte-coreanas.

Recomendadas

Julgamento por fraude fiscal contra Trump Organization agendado para outubro

O julgamento por suposta fraude fiscal contra a Trump Organization e o seu ex-diretor financeiro Allen Weisselberg começará em 24 de outubro, decidiu esta sexta-feira um juiz de Nova Iorque, rejeitando arquivar o caso, segundo a imprensa local.

Irão aceitará Acordo Nuclear mediante compromissos

Fonte não identificada afirmou que o último relatório com propostas apresentado pela União Europeia é “aceitável”, mas com algumas garantias, nomeadamente no que tem a ver com sanções e controlo do plano nuclear.

Venezuela e Colômbia iniciam normalização das relações

Os dois países vão trocar embaixadores na tentativa de restabelecer laços que se perderam há mais de três anos e que a vitória de Gustavo Petro nas presidenciais colombianas permitiu.
Comentários