Ligação aérea entre Luanda e Cabo Verde avança ainda este ano

A retoma da ligação aérea entre Luanda e Cabo Verde acontecerá ainda antes do fim do ano. O anúncio foi feito, esta sexta-feira manhã, na cidade da Praia, pelo ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’ Abreu, no final de um encontro com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

A retoma da ligação aérea entre Luanda e Cabo Verde acontecerá ainda antes do fim do ano. O anúncio foi feito, esta sexta-feira manhã, na cidade da Praia, pelo ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’ Abreu, no final de um encontro com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

“O presidente da comissão executiva da TAAG [transportadora aérea angolana] vai trabalhar com a contraparte da Cabo Verde Airlines no sentido de garantir que antes do fim do ano inicie  alguma ligação para Cabo Verde a partir de Luanda”, disse o ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’ Abreu.

A materialização desta ligação está a depender de sustentabilidade e fiabilidade das operações que vierem a ser realizadas. Ricardo Viegas D’ Abreu aponta que está ser estudada as diferentes oportunidades de ligações que possam existir de Luanda para Cabo Verde, e daqui operar outros destinos, mas pensando sempre na “ sustentabilidade” e na “fiabilidade” dos voos que não podem ter interrupções.

O ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’ Abreu, afirma que em termos institucionais já existe disponibilidade de tirar partido daquilo que são os direitos de trafico e de transportes aéreos e que a materialização será de acordo com a decisão das equipas técnicas, dos dois países, que estão reunidas, hoje, na Cidade da Praia.

Quanta a ligação que a TAAG fazia Luanda/ Praia/São Tomé e Príncipe, suspensa porque comercialmente não ser sustentável, o Ministro Ricardo Viegas D’ Abreu diz que nada está previsto.

Para o ministro dos Transportes de Cabo Verde, José Gonçalves, a ideia é Angola, através da TAAG, aproveitar da ilha do Sal para fazer escoamento de passageiros para os quatro continentes que pretende ligar o hub aéreo, Américo do Sul e do Norte, Europa e África. “Para América do Norte, que tem um tráfico expressivo, pode-se encurtar os destinos, transportando os passageiros para vários destinos, em particular para os Estados Unidos, a partir de Cabo Verde”, apontou José Gonçalves.

A prioridade que está a ser equacionada é Sal/Luanda e depois a partir desta ilha fazer a ligação entre as duas capitais, Praia/ Luanda, avançou o ministro José Gonçalves que entende que “ sustentabilidade económica e financeira tem de ser garantida” e isso só será assegurado pelo número de passageiro com uma taxa de ocupação de pelo menos 70%.

Nesta visita de 24 horas a Cabo Verde, o ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’ Abreu, vai também discutir com o homólogo cabo-verdiano, José Gonçalves, a questão das ligações marítimas. Angola está disponível, inicialmente, para assegurar o transporte de cargas e mais tarde de passageiros para Cabo Verde, afirmou o ministro Ricardo Viegas D’ Abreu.

Recomendadas

TAP transportou quase metade dos 540 mil passageiros de e para Cabo Verde em 2021

Quase metade dos mais de 540 mil passageiros de voos internacionais de e para Cabo Verde em 2021 foram transportadas pela companhia portuguesa TAP, segundo dados da agência reguladora, compilados hoje pela Lusa.

Portos de Cabo Verde com recorde histórico de 180 mil passageiros em agosto

Só a CV Interilhas transportou cerca de um milhão e meio de passageiros em três anos de operações no arquipélago.

Quadrante escolhida pela Vinci para entrar no consórcio que vai desenvolver sete aeroportos em Cabo Verde

Os projetos inserem-se no âmbito do contrato de concessão que o Governo de Cabo Verde assinou com a Vinci Airports /ANA por um período de 40 anos, recorda a empresa em comunicado.
Comentários