Lisboa reduz em 10km/hora a velocidade máxima e tira trânsito na Avenida da Liberdade aos domingos

Foi aprovada a proposta do Livre que vai fazer suspender o trânsito naquela Avenida em todos os domingos e feriados (anteriormente era só no último domingo de cada mês).

A Câmara Municipal de Lisboa aprovou esta quarta-feira uma proposta do Livre que visa uma redução de 10 km/h nos limites máximos de circulação e a suspensão do trânsito na Avenida da Liberdade aos domingos e feriados, informa a rádio “TSF”.

A proposta define a redução “em 10 km/h a velocidade máxima de circulação permitida para: 30 km/h nas vias de terceiro, quarto e quinto nível da rede rodoviária, para 40km/h nas vias de segundo nível e para 70km/h nas vias de primeiro nível”. Foi aprovada com oito votos a favor, do PS, Livre e BE, sete votos contra do PSD/CDS-PP e duas abstenções dos vereadores do PCP.

A proposta inclui a reativação do programa “A Rua é Sua”, que alarga a mais locais da cidade e entende o período de duração. Junta uma medida que determina a “eliminação do trânsito automóvel na Avenida da Liberdade em todos os domingos e feriados (anteriormente apenas último domingo de cada mês)”.

Diz a proposta do Livre que se procura que “todos os fregueses de toda a cidade possam experimentar fazer as suas deslocações de proximidade a pé de forma segura e confortável sem necessitar do automóvel próprio.”

A mesma proposta inclui medidas como estudar um programa de eletrificação da frota de táxis da cidade, “favorecer e facilitar o teletrabalho no município de Lisboa, assim como defende o estímulo à utilização dos transportes públicos, que promova a harmonização no que respeita ao metropolitano, assim como a “tendencial gratuitidade”. O incentivo às formas de mobilidade suave, como são os casos da rede Gira, da rede BiciParks e da rede ciclável, fazem também parte das medidas incluídas na mesma proposta.

Recomendadas

Acumular subsídio desemprego com atividade “a qualquer título” é proibido

A acumulação de subsídio de desemprego com atividade “a qualquer título” é proibida por lei, avançou, esta sexta-feira, fonte oficial do Ministério do Trabalho, na sequência da demissão apresentada pela presidente do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Câmara de Lisboa deu apoio de 350 mil euros a empresa do filho de Sérgio Figueiredo

A autarquia então liderada por Fernando Medina terá atribuido um apoio de 350 mil euros a um evento organizado pelo filho de Sérgio Figueiredo, que na altura era director da TVI. O canal de televisão, onde Medina era comentador a convite de Sérgio Figueiredo, foi parceiro do evento e recebeu um valor “considerável”, avança o NOVO Semanário.

Morte de Gustavo Costa deixa “vazio” no jornalismo, diz governo angolano

O governo angolano lamentou esta sexta-feira a morte do jornalista Gustavo Costa, correspondente do Expresso e colaborador do semanário angolano Novo Jornal, considerando que esta perda “deixa um enorme vazio na prática jornalística nacional”.
Comentários