PremiumLisboa vai cobrar nova taxa a quem apanhar táxi na Portela

Autarquia admite negociação para novo regulamento de acesso de veículos ao aeroporto da capital. Presidente da Antral rejeita cobrança adicional.

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) quer cobrar uma taxa adicional de um euro a cada taxista que faça serviços a partir do aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. O Jornal Económico sabe que essa questão está em cima da mesa no âmbito da discussão do novo regulamento de acesso de viaturas de transporte de passageiros ao aeroporto da capital, por iniciativa do vereador da Mobilidade da CML, Miguel Gaspar, e está já a gerar grande polémica entre as entidades que têm voto na matéria, em particular junto dos próprios taxistas.

Hoje em dia, o acesso de veículos particulares, táxis e outros meios de transporte de passageiros ao aeroporto da Portela é um caos quase permanente. Existe um regulamento que foi aprovado há cerca de quatro anos por todas as entidades interessadas, desde a autarquia lisboeta, ANA (gestora do aeroporto detida pelo grupo francês Vinci), PSP e associações representativas dos taxistas, como a Antral ou FPT – Federação Portuguesa do Táxi. Só que esse regulamento nunca saiu do papel.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Empresas reafirmam investimento contra riscos cibernéticos

A cibersegurança é uma prioridade para as empresas. O reforço do investimento na proteção de contra ataques mantém-se apesar da conjuntura atual marcada pela subida dos custos. 

Equinix cria fundo solidário de 50 milhões para promover a inclusão digital

A empresa de tecnologia norte-americana criou uma nova estrutura de apoio educativo. O conselho de administração da fundação irá, todos os anos, determinar o montante de doações da fundação, de modo a cobrir a concessão de contribuições ou a correspondência com as ofertas dos colaboradores.

Tecnológica portuguesa Innowave compra Cycloid

Desde 2018 que o grupo tem uma forte estratégia de M&A. “Esta aquisição é mais um passo na nossa estratégia de crescimento, materializada também na criação de centros de competência em Portugal, como é o caso de Lisboa, Porto, Coimbra, Faro e Beja”, afirmou o CEO da Innowave, Tiago Gonçalves.
Comentários