Lusíadas Saúde desliga iluminação externa de todos os hospitais e clínicas a partir de 1 de outubro (com áudio)

Esta ação vai implicar desligar a sinalética externa de todos os edifícios, designadamente a iluminação de carater informativo ou decorativo das fachadas dos edifícios pertencentes ao Grupo, tais como lonas e estandartes publicitários, bem como a iluminação de jardins.

Num esforço para diminuir o consumo energético em todos os seus hospitais e clínicas, a Lusíadas Saúde irá implementar um conjunto alargado de novas medidas, inclusive desligar a iluminação externa destes edifícios a partir do próximo sábado, dia 1 de outubro, informou o Grupo em comunicado.

Mais concretamente, esta ação vai implicar desligar a sinalética externa de todos os edifícios, designadamente a iluminação de carater informativo ou decorativo das fachadas dos edifícios pertencentes ao Grupo, tais como lonas e estandartes publicitários, bem como a iluminação de jardins.

Haverá ainda um ajuste permanente quer da iluminação interna à taxa de utilização e ocupação dos serviços, quer do sistema AVAC (aquecimento, ventilação e ar condicionado), bem como desligados os equipamentos sem utilização noturna, como os Ecógrafos e os RX. Para monitorizar estas medidas, serão destacadas equipas para controlo e monitorização.

Segundo informa a Lusíadas Saúde, esta iniciativa é transversal ao Grupo, com a contribuição de ações individuais das unidades de saúde, bem como de um trabalho de identificação desenvolvido ao longo das últimas semanas com o envolvimento de diversas áreas corporativas e operacionais, de modo a que seja garantido que a qualidade do serviço dos hospitais e das clínicas não é comprometida.

O Grupo refere ainda que segue um pacote relativo à sustentabilidade desde 2019, p qual tem vindo a ser materializado em diversos projetos.

“A área da saúde é responsável por um intensivo consumo de energia, 24 horas por dia, sete dias por semana”, afirma Vasco Antunes Pereira, CEO da Lusíadas Saúde. “Consciente do impacto ambiental da sua atividade, da crise geopolítica europeia e das consequentes dificuldades e perturbações no mercado mundial de energia, e tendo sempre presente o compromisso de reduzir a sua pegada ecológica e aumentar a consciencialização em torno deste tema, a Lusíadas Saúde defende a urgência da implementação destas iniciativas e, desde já, pede a compreensão dos seus colaboradores, clientes e comunidade. Este é um caminho a percorrer em benefício de todos”, salienta ainda a responsável.

Recomendadas

Black Friday faz volume de pagamentos com Ifthenpay aumentar 18% em novembro

A Ifthenpay, empresa portuguesa especializada e líder de mercado em pagamentos digitais para empresas, anunciou que registou um crescimento de mais 18% ao longo do mês de novembro na movimentação financeira através dos seus pagamentos digitais (+95,5 milhões de euros), e por comparação com período homólogo do ano anterior.

BPI distribui presentes de Natal a crianças no país

A edição de 2022 deverá mobilizar milhares de pessoas – entre trabalhadores sociais, voluntários, colaboradores e clientes do banco – para realizar os desejos de crianças apoiadas por instituições sociais que lutam contra a pobreza infantil em todo o país.

Exigir participação de mulheres em conferências é o novo grito pela igualdade

O BNP Paribas Portugal assumiu o compromisso de garantir 40% de mulheres no Comité Executivo do Banco e no G100 até 2025 e de não participar em conferências em cujos painéis não estejam mulheres. Acordo com movimento francês Jamais Sans Elles foi oficializado no dia 10 de novembro.
Comentários