CGD: Macedo está “a trabalhar” e recusa alimentar especulações

Novo presidente executivo do banco público diz que “a Caixa precisa de desenvolver o seu trabalho e pôr em prática plano de reestruturação e recapitalização”.

À margem de uma conferência onde interveio, o novo CEO da Caixa Geral de Depósitos, após insistência, e em andamento, disse que está “a trabalhar”: “Como sabem é processo que é complexo e há objetivo de constituir uma equipa “. Às perguntas sobre o número de elementos da administração, sobre quando começa a trabalhar e se está confortável com o plano desenhado, respondeu: “Não vou dizer mais nada, obrigado”.

No entanto, minutos depois, lá aceitou responder, para pôr um ponto final a especulações: “A única coisa que – percebendo a questão noticiosa, a curiosidade e o interesse – há a dizer é: está-se a trabalhar, quando houver questões claras, definitivas e concretas comunica-se, tal como fez o ministério das Finanças sobre o convite que me endereçou e a Rui Vilar”.

Disse ainda em relação ao novo conselho de administração, que “não vale a pena alimentar nomes ou curiosidades”. E explicou porquê: “A Caixa precisa de desenvolver o seu trabalho e pôr em prática o seu plano de reestruturação e recapitalização”.

Apesar de a administração de António Domingues só ter aguentado três meses à frente da Caixa Geral de Depósitos, o Presidente da República desdramatiza e diz até ter “confiança reforçada” no banco público com o novo presidente executivo, Paulo Macedo.

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.
Comentários