Madeira: Despedimentos na Frente Mar revelam “reais intenções” de Pedro Calado, acusa JPP

Tal acusação advém do compromisso de Pedro Calado, ainda como candidato a presidente da CMF, de salvaguardar os empregos dos trabalhadores da Frente Mar.

O partido Juntos Pelo Povo (JPP) acusou o presidente da Câmara Municipal do Funchal (CMF), Pedro Calado, de revelar as suas “reais intenções” ao levar a cabo o despedimento de 13 funcionários da empresa municipal Frente Mar.

Tal acusação advém do compromisso de Pedro Calado, ainda como candidato a presidente da CMF, de salvaguardar os empregos dos trabalhadores da Frente Mar.

O JPP remonta para o facto de o PSD ter votado contra a proposta de dissolução da empresa e reintegração dos seus trabalhadores nos quadros do município. Numa “atitude contraditória”, o executivo PSD/CDS  vem agora “presentear” os trabalhadores com esta notícia, “num desfecho que contradiz tudo o que prometeu”, sublinhou o representante do JPP Funchal, Leonardo Reis.

Leonardo Reis lembra ainda que a questão da situação desta empresa municipal tem sido um assunto realçado pelo JPP, que, em 2019, propôs uma auditoria externa para averiguar a situação da empresa.

Apesar de o JPP reconhecer que “é necessário reestruturar a Frente Mar”, considera que isso deve ser concretizado “assegurando sempre as condições laborais de todos os trabalhadores”.

Recomendadas

PremiumAnturio revela os segredos para ser um ‘great place to work’

A Anturio foi considerada a melhor empresa para trabalhar em Portugal. Aposta na formação e pacotes salariais atrativos são algumas das estratégias utilizadas.

PremiumGrupo Nabeiro vai modernizar instalações na Madeira

A modernização das instalações pretende oferecer serviços de apoio ao cliente. Grupo quer chegar ao top 10 de marcas de café no mundo. Delta Cafés é a marca do grupo com melhor performance na região.

PremiumMadeira: Orçamento perde 53 milhões mas prevê alívio fiscal de 96 milhões

A Região prevê inflação de 3,8% em 2023, ficando abaixo dos 4% previstos para o país. A previsão do executivo madeirense contrasta com os 6,9% estimados para 2022.
Comentários