Madeira soma 41 acidentes de viação numa semana

Estes acidentes resultaram em dois feridos graves, um na Ribeira Brava e outro em Santa Cruz.

O Comando Regional da Polícia de Segurança Pública da Madeira informou que na região registaram-se 41 acidentes de viação entre os dias 13 e 19 de maio.

O concelho do Funchal foi o que registou mais acidentes, contabilizando um total de 15. O concelho de Santa Cruz teve dez, Machico e Calheta tiveram quatro cada um e a Ribeira Brava registou três. E os concelhos que menos acidentes registaram foram Câmara de Lobos, Ponta do Sol e Porto Santo com um cada, e Santana registou dois acidentes.

Estes acidentes resultaram em dois feridos graves, um na Ribeira Brava e outro em Santa Cruz. Quanto a feridos ligeiros, estes foram 12: cinco no Funchal, um na Ribeira Brava, um na Calheta, um em Santana, um em Machico e três em Santa Cruz.

Quanto à tipologia dos acidentes de viação, 31 foram colisões, 8 foram despiste e um de outro tipo.

Ainda durante a semana em análise, a PSP realizou várias operações de fiscalização rodoviária que resultaram em 14 detenções por condução sob o efeito de álcool. Destas detenções, sete foram no Funchal, quatro em Câmara de Lobos, uma na Ribeira Brava, uma na Calheta e uma em Santa Cruz).

Deu-se ainda uma detenção por condução sem habilitação legal em Câmara de Lobos.

Recomendadas

Companhia aérea espanhola Binter inaugura três novas rotas a partir da Madeira

A companhia aérea espanhola Binter inaugura este fim de semana um programa especial de verão na Madeira, realizando duas novas ligações diretas às Canárias e uma a Marrocos

Funchal: Coligação Confiança lamenta chumbo da proposta para estender manuais escolares gratuitos ao secundário

O Vereador Miguel Silva Gouveia destaca que com esta reprovação da proposta da Confiança, os estudantes do ensino secundário do Funchal não terão acesso a manuais escolares gratuitos no próximo ano letivo 2022/2023, nem sabem quando é que esse direito, que já é uma realidade a nível nacional, se cumprirá na Madeira.

Deco diz que a crise é uma realidade e os consumidores enfrentam cada vez mais dificuldades

A atuação da Deco passa pela análise da situação específica do consumidor com dificuldades financeiras ou endividado e pelo contacto com as entidades credoras com o objetivo de efetuar uma reestruturação dos contratos de crédito/dívidas e encontrar formas que permitam ao consumidor cumprir com as suas obrigações.
Comentários