MAI: diretor da PSP deve “cingir as suas intervenções a matérias da sua estrita competência”

Questionado sobre os comentários feitos pelo diretor nacional da PSP sobre a fusão daquela autoridade com o SEF, Eduardo Cabrita Mendes considera que “a PSP e outras forças de segurança devem cingir as suas intervenções públicas a matérias da sua estrita competência operacional”. 

Durante a sua intervenção final na audição da comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias a pedido do PSD e da deputada não-inscrita Joacine Katar Moreira (ex-Livre), Eduardo Cabrita considerou que o diretor da “PSP deve cingir as suas intervenções públicas a matérias da sua estrita competência operacional”.

A declaração surge dias depois de Magina da Silva, após uma audição no Palácio de Belém, no domingo, ter proposto ao Presidente da República uma reorganização das polícias que passa pela extinção da PSP e do SEF, fundindo as duas forças numa “polícia nacional”.

Sobre a polémica, que entretanto foi desmentida pelo próprio ministro da Administração Interna e o primeiro-ministro António Costa, o responsável pela tutela afirma que foi informado que audiência se realizaria, mas que “quanto às declarações à saída, os comentários em nome do Governo são públicos, a PSP deve cingir as suas intervenções públicas a matérias da sua estrita competência operacional”.

Eduardo Cabrita foi esta terça-feira ouvido no Parlamento sobre o caso da morte do cidadão ucraniano Ihor Homeniuk, há nove meses, nas instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no aeroporto de Lisboa.

O cidadão terá sido vítima do crime de homicídio por parte de três inspetores do SEF, já acusados pelo Ministério Público, com a alegada cumplicidade de outros 12 inspetores. O julgamento deste caso terá início em 20 de janeiro.

Noves meses depois do alegado homicídio, a diretora do SEF, Cristina Gatões, demitiu-se na semana passada, após alguns partidos da oposição terem exigido consequências políticas deste caso. Cristina Gatões tinha dito em novembro que a morte do ucraniano foi o resultado de “uma situação de tortura evidente”.

Relacionadas

SEF: Eduardo Cabrita garante que não há “contradição nenhuma” na investigação do caso da morte de cidadão ucraniano

O ministro das Administração Interna garante que a cronologia apresentada na comissão parlamentar do caso da morte de Ihor Homeniuk não apresenta incoerências e que “não há contradição nenhuma entre” as datas referidas. Eduardo Cabrita espera que indemnização à família do cidadão ucraniana seja feita”com justiça, num prazo muito curto”.

SEF: Chega e Iniciativa Liberal acusam Eduardo Cabrita de mentir e pedem demissão do MAI

Os deputados do Chega e da Iniciativa Liberal pediram a demissão de Eduardo Cabrita do ministério da Administração Interna durante a audição na comissão parlamentar que está a debater a morte de Ihor Homeniuk, há nove meses, nas instalações do SEF. Ambos os deputados acusaram o ministro de mentir em todo o processo do SEF.

Bloco considera que Eduardo Cabrita “não é a pessoa certa” para reformulação no SEF

A deputada Beatriz Gomes acusa o Ministro da Admnistração Interna de uma falta do apuramento da verdade quanto ao caso da morte de Ihor Homeniuk, há nove meses, nas instalações do SEF. PSD acompanha onda de críticas, considerando que o “envio de condolências à família nove meses depois do sucedido parecem lágrimas de crocodilo”
Recomendadas

“Há interessados em criar Zonas Livres Tecnológicas para criptomoedas”, diz secretário de Estado da Digitalização

Mário Campolargo, em entrevista ao Jornal Económico, explica os objetivos do Governo em renovar a Estratégia de Blockchain e Web3 e garante que há interesse por parte de vários ‘players’ em testar moedas virtuais nos espaços livres de constrangimentos regulatórios.

PAN defende aposta nos transportes públicos e revisão dos escalões de IRS

A porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, defendeu, este domingo, na proposta de Orçamento do Estado para 2023 o Governo deve apostar nos transportes públicos e na revisão dos escalões de IRS, além da valorização da proteção animal. “É fundamental que no Orçamento do Estado se garanta uma maior aposta nos transportes públicos, a revisão […]

PremiumPutin une extremos na oposição ao Ocidente

As franjas mais extremas europeias convergem no apoio a Putin, unidas por um antiamericanismo reforçado, à esquerda, por uma orfandade do comunismo soviético e, à direita, pela admiração por um regime iliberal e autocrático.
Comentários