Mais de um milhão de isolados deslocam-se às urnas. Período recomendado decorre até às 19h

Segundo a recomendação do Governo, estes eleitores devem deslocar-se às urnas entre as 18h e as 19h por ser um período de menor afluência.

Nuno Veiga / Lusa

Segundo a recomendação do Ministério da Administração Interna (MAI), arrancou o período de votação destinado aos eleitores que estão cumprir isolamento. De acordo com o Governo, estes eleitores devem deslocar-se às urnas entre as 18h e as 19h por ser esta a altura de menor afluência, uma vez que maioria dos portugueses já terá votado ao longo do dia.

Com base no relatório epidemiológico divulgado pela Direção-Geral de Saúde (DGS), este domingo, ao todo encontram-se 597.879 casos ativos a cumprir o período de afastamento social que, no início do ano, reduziu de dez para sete dias, mais 5.910 pessoas quando comparado com a véspera.

Além destas pessoas, estão 624.599 utentes em vigilância, ou seja, pessoas que estão a ser monitorizados pelas autoridades de saúde locais. Em comparação com este sábado, são mais 13.557 pessoas.

Contactada pelo Jornal Económico, a DGS explica, no entanto, que o “número de pessoas infetadas nos últimos 7 dias foi de, aproximadamente, 390 mil (com 18 ou mais anos, 271.800) e nos últimos 10 dias 552.200 (com 18 ou mais anos, 383.900), pelo que o número de pessoas isoladas situa-se entre estes dois valores”.

“As pessoas com estado de vigilância ativa no sistema, com indicação para isolamento profilático, correspondem a cerca de 624.600, das quais 399.700 com 18 ou mais anos”, adianta a DGS ao JE.

Ao todo, estarão em confinamento entre 1.014.600 e 1.176.800 pessoas, das quais entre 671.500 e 783.600 pessoas com 18 ou mais anos.

Estes números poderão ter alguma implicação na afluência às eleições este domingo, embora os dados divulgados pelo Ministério da Administração Interna revelem que a afluência às urnas até às 16h tenha sido superior às últimas quatro eleições: 45,66%, ou seja, 4,9 milhões de eleitores.

Segundo os dados do MAI, em 2019, quando Portugal registou pela primeira vez uma abstenção de cerca de 51%, tinham votado até às 16h 38,59% da população. Em 2015 foram 44,38%, em 2011 41,89% e em 2009 foram 43,3%.

As assembleias de voto para as eleições legislativas abriram às 08:00 de hoje em Portugal Continental e na Madeira, encerrando às 19:00. Nos Açores, as mesas de voto abriram e vão encerrar uma hora depois em relação à hora de Lisboa, devido à diferença horária.

Podem votar para as eleições antecipadas de hoje 10.820.337 eleitores, mais 9.808 do que nas anteriores legislativas, em 2019.

Tendo em conta a atual situação da pandemia, em que mais de um milhão de pessoas estão em isolamento obrigatório devido à Covid-19, o Governo decidiu que estes eleitores podem votar presencialmente e recomendou que o façam num período específico, entre as 18h e as 19h.

Notícia atualizada às 18h40 com os dados da DGS fornecidos ao JE

Relacionadas
Setas no chão a assinalar percurso eleitores

Afluência às urnas cresce para 45,66% até às 16h e mantém-se superior às das quatro legislativas anteriores

Até às 16h deste domingo, 45,66% dos portugueses tinham exercido o seu direito de voto, sucedendo a percentagem de 23,27% registada até às 12h.

Ramalho Eanes apela ao voto frisando a importância de uma “estabilidade governativa”

O antigo Presidente da República Ramalho Eanes votou esta tarde no Beato, em Lisboa, acompanhado da mulher, Manuela Eanes.
Recomendadas

Parceria na investigação junta Politécnico de Leiria e Força Aérea

IPLeiria, Força Aérea Portuguesa e empresa Prio estudam a utilização de biocombustível produzido a partir de óleos alimentares usados em viaturas e equipamentos da Base Aérea N.º 5.

PRR dá 22 novos cursos ao país e o terceiro de Engenharia Aeroespacial

Concurso de acesso ao ensino superior 2022/23 está no terreno. Candidatos podem escolher entre 1103 licenciaturas e mestrados integrados. Governo mantém prioridade nas tecnologias.

Portugal registou 19.643 novos casos de Covid-19 e 62 mortes na última semana

Entre 2 e 8 de agosto, registou-se uma descida no número de casos positivos por Covid-19 (1.615) e morreram menos seis pessoas quando comparado com a semana anterior, revelou a DGS.
Comentários