Marcelo diz que cirurgia “correu muito bem” e que vai “já trabalhar hoje”

“Não podia ter corrido melhor. Sinto-me muito bem”, disse hoje o Presidente à saída do hospital após a operação.

O Presidente da República disse hoje que a sua cirurgia “correu muito bem” e que vai já regressar ao trabalho.

“Não podia ter corrido melhor, operar duas hérnias [inguinais], uma de um lado, outra de outro lado. Sinto-me muito bem. Já vou trabalhar hoje e trabalhei ontem”, começou por dizer Marcelo Rebelo de Sousa esta quinta-feira, 16 de dezembro.

“Tenho de ter alguma precaução, com os esforços mais intensos por causa da rede colocada. Não posso conduzir, nem mergulhar, nem fazer esforços. Cuidado a andar de avião e de automóvel,”, destacou em declarações aos jornalistas à saída do hospital das Forças Armadas em Lisboa onde foi intervencionado.

O também comandante supremo das Forças Armadas deixou elogios à “qualidade do hospital, e à rapidez de intervenção”.

Relacionadas

Marcelo e mais restrições depois de 9 de janeiro: “Se for necessário reforçar, reforçamos”

O primeiro-ministro português avisou hoje que Portugal deverá prolongar as medidas para lá de 9 de janeiro, a data limite para as restrições previstas para o período festivo. Marcelo considera que o aviso é “sensato”.

Presidente da República operado “com sucesso” a duas hérnias inguinais

O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, “foi hoje operado, com sucesso, a duas hérnias inguinais, no Hospital Forças Armadas, no Lumiar, em Lisboa”, anunciou a Presidência da República.
Recomendadas

5 de outubro: Montenegro acusa Governo de degradar ambiente político com casos

Luís Montenegro falava aos jornalistas no final da cerimónia oficial das comemorações do 112.º aniversário da implantação da República em Portugal, na qual o Presidente da República falou dos governos que “tendem quase sempre a ver-se como eternos” e das oposições “quase sempre a exasperarem-se pela espera”, afirmando em seguida que “nada é eterno” e que “a democracia é por natureza o domínio da alternativa, própria ou alheia”.

Primeira-ministra dinamarquesa convoca eleições antecipadas para novembro

O Partido Social Liberal, uma das formações que dá maioria ao Governo social-democrata, tinha ameaçado Frederiksen com uma moção de censura se não convocasse eleições, após apresentar em junho um relatório crítico sobre a gestão feita pelo executivo em relação ao abate de milhões de visons, devido a uma mutação do coronavírus.

Itália. Governo Meloni deverá misturar técnicos e fiéis da líder

O próximo Governo de Itália, chefiado por Giorgia Meloni, deverá combinar figuras de renome técnico, em pastas cruciais para as relações com Bruxelas, e fiéis da futura primeira-ministra, segundo analistas ouvidos pela Lusa.
Comentários