Mercado das Tecnologias da Informação vai ultrapassar os 5 mil milhões em Portugal este ano, estima IDC

Os especialistas da consultora anteveem ainda que a transformação digital vá representar metade de todo o investimento nacional em TIC o até o final de 2025.

O mercado das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) em Portugal vai ultrapassar, pela primeira vez, os 5 mil milhões de euros este ano, o que representa um ligeiro crescimento homólogo de 3,9%, de acordo com as previsões da consultora International Data Corporation (IDC) divulgadas esta quarta-feira.

Os especialistas da IDC anteveem ainda que a transformação digital vá representar metade (50%) de todo o investimento nacional em TIC o até o final de 2025, segundo a informação que foi transmitida no evento IDC Directions, que se realizou esta manhã no Centro de Congressos do Estoril.

A nível mais técnico, os peritos creem que mais de 50% do investimento em software será no modelo Software as a Service (SaaS), que hoje supera significativamente os esquemas de licenciamento de software tradicionais. Quanto à cloud (armazenamento na nuvem), dizem, está “mainstream”. Ou seja, a tecnologia encontra-se a ser amplamente adotada pelas empresas, sem surpresas.

A maioria desse capital para digitalização das organizações será aplicado em novos use cases (“casos de uso”. Apesar da recessão que se aproxima a passos largos, a IDC reforça o argumento que, por vezes, no circula na indústria de que as TIC não são imunes, mas manter-se-ão a crescer. Aliás, a consultora norte-americana prevê que os investimentos tecnológicos passem a ter uma taxa de crescimento anual média de 16,5%, entre 2022 e 2025.

Ainda assim, o country manager da IDC Portugal considera que “devemos ambicionar mais para Portugal e para a Europa”. “O tecido empresarial tem de acelerar ainda mais a transformação digital. A transição digital no sector público tem de ser mais rápida. Portugal tem obrigatoriamente de apostar mais na criação e atração de talento e posicionar-se como um hub para vários ecossistemas digitais e reforçar o foco na sustentabilidade”, afirma Gabriel Coimbra, que é também vice-presidente do grupo IDC.

“Não obstante continuarmos a prever crescimento para 2022 e 2023, a impacto da guerra, da inflação e do respetivo abrandamento económico fará com que o crescimento em Portugal cresça menos de 1/3 do que estava previsto”, ressalva Gabriel Coimbra.

Recomendadas

Binter e Embrar fecham compra de cinco novas aeronaves por mais de 369 milhões de euros

As duas primeiras unidades estão previstas para chegar às Ilhas Canárias em novembro de 2023.

Manuel Champalimaud compra à Novares a área de injeção de plásticos para a indústria automóvel

A aquisição visa reforçar posição do Grupo Champalimaud no sector dos componentes de plástico decorativo e de interface para a indústria automóvel.

PremiumAmazon diz que “continua a fazer investimentos” de cloud em Portugal

A empresa norte-americana de computação na nuvem Amazon Web Services (AWCS)está a desenvolver um centro de dados no país, mas não se compromete com uma data de abertura.
Comentários