Mercedes-Benz foi a marca ‘premium’ mais vendida em Portugal durante 2020

No que toca ao sector como um todo, a Mercedes-Benz foi a terceira mais comercializada em Portugal, alcançando uma quota de mercado de 9,5%, “uma das maiores a nível mundial”, segundo um comunicado da empresa a que o jornal económico teve acesso.

Apesar das dificuldades económicas provocadas pela pandemia, a Mercedes-Benz vendeu 13.752 automóveis durante 2020, de acordo com informação fornecida pela marca. O número representa um decréscimo de 17% face a 2019, mas ainda assim a quebra foi menor que a média do mercado automóvel que caiu 35%. Entre as chamadas marcas ‘premium’, a Mercedes-Benz esteve entre as marcas que mais venderam em 2020.

No que toca ao sector como um todo, a Mercedes-Benz foi a terceira mais comercializada em Portugal, alcançando uma quota de mercado de 9,5%, “uma das maiores a nível mundial”, segundo um comunicado da empresa a que o jornal económico teve acesso.

Entre os modelos Mercedes-Benz mais procurados a nível nacional destaque para o Classe A, cuja estreia da quarta geração decorreu em maio de 2018, com 5.979 unidades comercializadas. No segmento compacto da Mercedes-Benz, o modelo GLB vendeu 8.710 unidades em 2020. Destaque ainda para o Classe C Station que foi o segundo modelo mais comercializado com 989 unidades vendidas.

A Mercedes-Benz sublinha ainda que em 2020, a smart tornou-se a primeira marca 100% elétrica a nível mundial. No ano de transição e, tal como previsto pela empresa, a smart sofreu uma quebra face a 2019 quando comparando com as vendas de viaturas a combustão. Não obstante, conseguiu comercializar 518 unidades totalmente elétricas em Portugal, um aumento de vendas de 27,3% face a 2019.

Recomendadas

PremiumValérius afasta para já produção da Dielmar em Marrocos

interessada na Dielmar admitiu vir a transferir a produção para Marrocos, porque na Europa a especialização do sector está a desaparecer. CEO admite ao JE que será um processo a dez, 15 anos.

Huawei foi excluída do 5G do Reino Unido devido a pressão americana, diz antigo ministro britânico

“Não teve nada a ver com segurança nacional”, afirma Vince Cable, citado pela Euractiv, contrariando os argumentos invocados por Boris Johnson quando em 220 baniu a empresa chinesa da construção da rede de 5G no país.

NOS distingue-se no combate às alterações climáticas

O CDP – Disclosure, Insight, Action atribuiu pelo segundo ano consecutivo o rating A- à operadora de telecomunicações portuguesa.
Comentários