Ministro da Economia sobre a TAP: “Remunerações pagas a muitos dos seus trabalhadores são superiores aos das congéneres e concorrentes europeias”

“A TAP vai precisar de injeções de dinheiros públicos, o que está sujeito a autorização da Comissão Europeia. A condição para o permitir é a demonstração que a TAP tem viabilidade a longo prazo”, afirmou hoje Siza Vieira.

Harry Murphy/Web Summit

O ministro da Economia disse hoje que os salários pagos na TAP são superiores ao de outras empresas aéreas europeias.

“No caso da TAP acresce também que os encargos salariais que tem e as remunerações que são pagas a muitos dos seus trabalhadores são também superiores ao que as suas congéneres e concorrentes suportam”, afirmou hoje Pedro Siza Vieira na conferência de imprensa após a reunião da concertação social.

“Todas as companhias aéreas tem de fazer este esforço porque neste momento não há passageiros”, sublinhou.

O ministro disse que o objetivo do plano de reestruturação é criar para a “nossa transportadora aérea as condições de sobreviver a longo prazo. todas as companhias áreas na Europa estão a passar por processos de reestruturação muito profundas”.

O ministro deu o exemplo da Lufthansa, “a mais rica e poderosa” companhia aérea europeia, com cortes dos salários dos pilotos na ordem dos 45%, redução da frota e redução de 27% dos postos de trabalho.

“A TAP vai precisar de injeções de dinheiros públicos, o que está sujeito a autorização da Comissão Europeia. A condição para o permitir é a demonstração que a TAP tem viabilidade a longo prazo”, afirmou Siza Vieira.

“O Conselho de Ministros esteve ontem a apreciar o plano que irá ser apresentado amanhã na Comissão Europeia”, rematou.

Relacionadas

TAP quer que sindicato assine acordo de confidencialidade para revelar plano de reestruturação, denuncia SITAVA

“Será esta a nova forma de sindicalismo livre, o sindicalismo secreto?”, questiona o SITAVA depois da reunião com Miguel Frasquilho e Ramiro Sequeira que teve lugar esta semana, e onde rejeitaram divulgar o plano de reestruturação sem a assinatura de um acordo de confidencialidade.
João Gonçalves Pereira

TAP. CDS diz que Governo vai ter de fazer um Orçamento retificativo em 2021 para injetar mais 470 milhões

O CDS saiu preocupado da reunião com o Governo pois o plano do executivo para a TAP “implica um envelope financeiro de muitos milhões de euros em varias tranches ao longo dos próximos anos”. Em menos de dois anos, a TAP vai receber 2.170 milhões de euros de dinheiro público.

TAP. Governo apresenta hoje plano de reestruturação aos partidos em reuniões à porta fechada

O plano de reestruturação da TAP só será entregue no último dia do prazo dado por Bruxelas, 10 de dezembro, mas antes o Governo discute-o com os partidos, hoje e na quinta-feira, em reuniões fechadas, no parlamento.
Recomendadas

Inflação pode retirar competitividade às empresas portuguesas

Responsável da Fundação AIP considera que os custos nos transportes, aliados ao atual quadro político poderá levar a que esta não seja a melhor altura para o sector empresarial se expandir para os mercados mais longínquos. Investir na vertente digital é outro dos desafios.

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Ministra da Justiça diz que é preciso melhorar condições dos processos de recuperação de empresas

“A melhoria das condições de processos de recuperação [de empresas], sobretudo em períodos de insolvência e de dúvida, como o que atravessamos, é um desafio, mas um desafio que temos de concretizar”, afirmou Catarina Sarmento e Castro.
Comentários