Ministro do Ambiente leva Roteiro para a Neutralidade Carbónica à Cimeira do Clima

O ministro do Ambiente e da Transição Energética vai participar no painel de abertura ministerial, “How do We get There?”.

João Pedro Matos Fernandes está a participar desde ontem, dia 10 de dezembro, e por vários dias, na Cimeira do Clima COP24, que se está a realizar em Katowice, na Polónia, até 14 de dezembro, próxima sexta-feira.

O ministro do Ambiente e da Transição Energética vai participar no painel de abertura ministerial, “How do We get There?”.

“Com a realização da COP24, todos os países são chamados a uma nova reflexão, assumindo compromissos que permitam atingir metas concretas, com as quais o Mundo se comprometeu em 2015, no Acordo de Paris, sobre a redução das emissões de gases com efeito de estufa”, explica um comunicado do Ministério do Ambiente.

Segundo esse documento, “Portugal apresentou, no início de dezembro, o Roteiro para a Neutralidade Carbónica (RNC), que define os objetivos a alcançar a nível de todos os sectores da sociedade, através de um investimento de dois mil milhões de euros por ano, a acrescentar aos 30 mil milhões já investidos, para tornar Portugal neutro, nas emissões de dióxido de carbono”.

Nos trabalhos que decorrem na Cimeira do Clima COP24, “(…) o RNC representa a posição estrutural de Portugal, e inclui a participação de todos os setores da sociedade, desde os transportes, energia, agricultura, indústria, edifícios, tratamento de resíduos e outros, envolvidos no objetivo de redução das emissões de C02”, explica o comunicado, acrescentando que “todos, seremos chamados a cumprir uma quota-parte neste desígnio”.

“Assim, o RNC vai permitir a Portugal alcançar a meta da neutralidade carbónica em 2050, mantendo o nosso país na liderança dos países mais limpos do Mundo”, conclui o Ministério do Ambiente.

 

Recomendadas

PremiumCOP27: economia fica sempre à frente dos interesses do planeta

A guerra, a inflação, os preços das energias tornaram a opção pela produção sustentável um luxo a que as economias não se podem dar. A guerra das Nações Unidas terá de ficar para mais tarde.

Pelo menos 238 mil pessoas morreram devido à poluição do ar em 2020, revela relatório

A poluição do ar provocou a morte de, pelo menos, 238 mil pessoas na União Europeia (UE), em 2020, mais do que no ano anterior, segundo um relatório da Agência Europeia do Ambiente (EEA, na sigla em inglês), hoje divulgado.

Negociadores chegam a acordo sobre fundo climático na COP27

A revelação foi feita pelo ministro do Ambiente das Maldivas, este sábado, 19 de novembro Sharm El-Sheikh, Egito, no Egito. “Há um acordo sobre perdas e danos”, afirmou Aminath Shauna à Associated Press.
Comentários