PremiumMontenegro quer colaborar na decisão do novo aeroporto, mas não vai “decidir por ninguém”

O líder do PSD, Luís Montenegro, diz estar disponível para “colaborar na decisão” relativamente à localização do novo aeroporto, mas deixa um aviso: não vai “decidir por ninguém”.

Cristina Bernardo

Montenegro tem reunião marcada esta sexta-feira com o primeiro-ministro, António Costa, e com o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, depois de ter expressado interesse num envolvimento da oposição na decisão, pedido esse a que o Executivo acedeu.

“O governo precisa da ajuda do PSD”, diz o líder do partido, “precisa do conforto de olhar para o futuro e vislumbrar governos do PSD a poderem executar uma política estratégica e estruturante do desenvolvimento do país”. Montenegro diz, por isso, que o partido “vai colaborar na decisão, mas não vai decidir por ninguém”. “Vamos dar a nossa opinião”, sublinha o líder da oposição.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumPutin une extremos na oposição ao Ocidente

As franjas mais extremas europeias convergem no apoio a Putin, unidas por um antiamericanismo reforçado, à esquerda, por uma orfandade do comunismo soviético e, à direita, pela admiração por um regime iliberal e autocrático.

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.

PremiumFada ou bruxa? Uma duquesa que incomoda muita gente

Sociopata narcisista”. Uma classificação nada abonatória, mas é assim que é descrita Meghan Markle por ex-funcionários do Palácio de Buckingham que trabalharam para os duques de Sussex, segundo o que é revelado no novo livro de Valentine Low, que escreve sobre assuntos reais para o “The Times”.
Comentários