Mota-Engil com prejuízo de cinco milhões no primeiro semestre

A construtora nacional destaca que a carteira de encomendas atingiu um recorde no valor de 5,5 mil milhões de euros.

Cristina Bernardo

A Mota-Engil registou prejuízos de cinco milhões de euros no primeiro semestre face a período homólogo quando registou um lucro de oito milhões de euros.

O volume de negócios da companhia atingiu os 1,2 mil milhões de euros neste período, menos 14% face ao ano passado.

Já os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) atingiu os 144 milhões, com uma margem de 12%.

A construtora nacional  liderada por Gonçalo Moura Martins destaca que a carteira de encomendas atingiu um recorde no valor de 5,5 mil milhões de euros.

Destaque para o investimento que atingiu os 94 milhões de euros, menos 13 milhões face a período homólogo.

Já a dívida líquida atingiu os 1.248 milhões de euros no final do primeiro semestre, com um rácio dívida líquida sobre o EBITDA de 3,4 vezes.

A Mota-Engil anunciou hoje que está a negociar com um dos “maiores grupos de infraestruturas do mundo” com uma “atividade significativa a nível mundial” para que este se torne um ” acionista relevante e um parceiro de longo prazo”.

Apesar da Mota-Engil não revelar o nome da empresa no comunicado, o Jornal Económico apurou que se trata da China Communications Construction Company (CCCC), uma das maiores construtoras mundiais.

Com esta entrada, a Mota Gestão e Participações, o acionista maioritário, vai reduzir a sua participação para 40%. Negócio avalia Mota-Engil em 750 milhões de euros.

Chineses da CCCC negoceiam compra de 30% da Mota-Engil

Recomendadas

Exclusivo: Bónus milionário da CEO da TAP não é válido

O contrato assinado entre a TAP e a gestora francesa Christine Ourmières-Widener prevê um bónus que pode chegar a três milhões de euros no prazo de cinco anos, revela o documento, a que o Jornal Económico teve acesso. No entanto, o contrato não será válido, uma vez que uma das suas cláusulas prevêem que teria de ser aprovado pela Assembleia Geral da TAP SGPS, algo que nunca chegou a acontecer.

Pampilhosa da Serra assina novo contrato para assegurar transporte de passageiros

O município da Pampilhosa da Serra, no interior do distrito de Coimbra, vai pagar mensalmente mais de 15 mil euros a uma empresa para assegurar o serviço de transporte público de passageiros nas linhas que funcionam atualmente.

Martifer com contrato de 68 milhões para fazer viadutos ferroviários em Birmingham

“O fabrico da estrutura metálica será realizado maioritariamente no pólo industrial do grupo Martifer, em Oliveira de Frades, permitindo reforçar a vertente exportadora do grupo Martifer, que atualmente representa mais de 85 % do volume de negócios do segmento de estrutura metálica em Portugal”, refere a empresa.
Comentários