Mota-Engil entra na Argentina com concessão rodoviária a 15 anos

O investimento previsto, a realizar nos primeiros cinco anos da concessão, ascende a cerca de 768,5 milhões de euros (900 milhões de dólares).

Cristina Bernardo

A Mota-Engil concretizou a entrada na Argentina, um novo mercado externo, ao garantir uma posição de 33% num consórcio que ganhou uma concessão rodoviária por um período de 15 anos.

O contrato prevê a construção num troço de 20 quilómetros de área urbana e de 227 quilómetros de área rural do Corredor Sur, na província de Buenos Aires, com uma ligação ao aeroporto de capital argentina.

O investimento previsto, a realizar nos primeiros cinco anos da concessão, ascende a cerca de 768,5 milhões de euros (900 milhões de dólares).

Cerca de 95% deste montante será aplicado em obras de alargamentos de vias e/ou reabilitações neste Corredor Sur.

Segundo fonte da Mota-Engil explicou ao Jornal Económico, a exploração desta concessão vai iniciar-se de imediato.

A concessão será paga ao consórcio privado integrado pela Mota-Engil através do regime de disponibilidade, “os quais asseguram o valor das obras de reabilitação e de alargamento em 80% do investimento total, sendo o restante investimento e os gastos da operação cobertos pela cobrança de portagens”, segundo explica o comunicado enviado pela Mota-Engil à CMVM – Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Por isso, este é “um modelo de baixo risco”, sublinhou a mesma fonte da Mota-Engil ao Jornal Económico, uma vez que o TMD – Tráfego Médio Diário desta concessão, no momento atual, é de 250 mil veículos.

“O pagamento por disponibilidade é assegurado por um ‘trust’, propriedade do Governo da Argentina, o qual irá receber os impostos sobre combustíveis, bem como o recebimento parcial de algumas portagens com a obrigação contingente do Governo [argentino] de suprir qualquer insuficiência verificada”, acrescenta o referido comunicado da Mota-Engil.

O mesmo documento esclarece que “este tipo de concessões público-privadas foi acordado recentemente nas negociações mantidas entre o Governo da Argentina e o Fundo Monetário Europeu”.

A Mota-Engil ganhou este contrato no âmbito do concurso de PPP Vias Seguras, patrocinado pelo Governo da Argentina.

 

Relacionadas

Kola Karim: O novo aliado de António Mota para mais uma lança em África

Esta semana foi selada uma aliança entre a Mota-Engil e a Shoreline, uma das maiores empresas da Nigéria, liderada por Kola Karim, já considerado um dos 10 homens mais influentes de África. A nova participada Mota-Engil Nigéria será presidida por Sua Alteza, o Emir de Kano. Fortes trunfos para conquistar uma das economias mais pujantes de África.
Recomendadas

Grupo SATA integra projeto Cluster Grace Açores

Associados e membros do cluster partilham boas-práticas e desenvolvem sinergias com o objetivo de colocar os temas da Agenda 2030, 2050 e ESG (Environmental, Sustainability and Governance) como prioritários nas agendas das empresas.

Binter e Embrar fecham compra de cinco novas aeronaves por mais de 369 milhões de euros

As duas primeiras unidades estão previstas para chegar às Ilhas Canárias em novembro de 2023.

Manuel Champalimaud compra à Novares a área de injeção de plásticos para a indústria automóvel

A aquisição visa reforçar posição do Grupo Champalimaud no sector dos componentes de plástico decorativo e de interface para a indústria automóvel.
Comentários