Multas para quem não usar máscara protetora podem chegar aos 500 euros

Segundo o jornal ‘Correio da Manhã’, o Governo vai publicar um diploma estipulando que esta medida se aplica a pessoas com idade superior a 10 anos e a obrigação decorrerá por um prazo de 70 dias, logo que a obrigatoriedade de utilização de máscaras na via pública, aprovada ontem na Assembleia da República, seja publicada em Diário da República.

Getty Images

As multas para quem desobedecer à futura obrigatoriedade de usar máscaras protetoras na via pública vão oscilar entre os 100 e os 500 euros, avança hoje, dia 24 de outubro, a edição em papel do ‘Correio da Manhã’.

Segundo o jornal, o Governo vai publicar um diploma estipulando que esta medida se aplica a pessoas com idade superior a 10 anos e a obrigação decorrerá por um prazo de 70 dias, logo que a obrigatoriedade de utilização de máscaras na via pública, aprovada ontem na Assembleia da República, seja publicada em Diário da República.

A fiscalização do uso das máscaras ficará a cargo das forças de segurança.

Esta medida pretende conter a expansão dos contágios de Covid-19, mas vão existir exceções.

“Quando não se encontrem em proximidade de terceiros, os membros do mesmo agregado familiar estão dispensados desta imposição. A não obrigatoriedade aplica-se igualmente a pessoas com deficiência cognitiva, com perturbações psíquicas ou em condição clínica que não permita usar máscara, mas para tanto será necessária a apresentação de declaração ou atestados médicos”, explica a referida notícia do ‘Correio da Manhã’.

Recomendadas

Desafios tecnológicos, burocracia, renováveis e perda de água em debate

A transição energética em Portugal e na Europa esteve em debate na conferência do sexto aniversário do Jornal Económico.

Transição energética não pode ser feita sem as pessoas

Empresas do sector energético destacam a importância das pessoas nos seus projetos. A transição não pode ser feita sem o envolvimento das populações locais e sem a conversão de postos de trabalho.

Escassez de carros e inflação dominam mercado da gestão de frotas

Há falta de carros, há falta de peças, há uma inflação galopante no preço das viaturas e há o perigo do abrandamento económico. São fatores negativos para as gestoras de frotas das empresas. Mas as gestoras têm soluções.
Comentários