Não deveriam ser as cores da reciclagem universais?

Na Suiça. o papel deve ser colocado no contentor amarelo. Em França, o plástico está destinado ao de cor azul. Se for até Itália, então prepare-se: há uma mancha de cor que pinta as sinaléticas de reciclagem do país.

Num mundo cada vez mais conectado, onde as fronteiras já não são um obstáculo e a facilidade em viajar é cada vez maior, não deveriam ser as cores da reciclagem universais?

Se, em Portugal, o contentor amarelo é para o plástico, na Suiça, é onde se coloca o papel. Mas nem é preciso ir tão longe: em França, o contentor azul é destinado aos plásticos e não ao papel, como aprendemos em Portugal. Se quer reciclar cartão em terras francesas, deve colocá-lo no contentor amarelo. A história repete-se um pouco por toda a Europa e as cores vão-se baralhando de país para país.

Na realidade, o sistema de reciclagem, além de não ser universal, também não é consensual nalguns país europeus. Se em Portugal, a sinalética colorida referente à separação do lixo é igual em todo o país e tanto coloca uma lata de refrigerante no contentor amarelo em Lisboa, no Porto ou na Povóa de Varzim, em Itália não. Se estiver em Roma, o vidro vai para o contentor verde mas também há quem tenha sido ensinado a pô-lo no de cor castanha noutras cidades italianas. Enquanto isto, na província de Varese, situada no norte de Itália, a ASPEM, a principal empresa de higiene urbana da região, garante que o papel, o cartão e as embalagens treta pack devem ser colocadas no contentor branco e o lixo orgânico no castanho.

As cores da reciclagem podem ser um arco-íris perturbador para quem procura ser ecológico enquanto viaja e um verdadeiro desafio para quem tem de mudar de país.

 

Recomendadas

Ucrânia corta relações diplomáticas com a Rússia e apela a aliados que façam o mesmo

O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano pediu aos seus aliados que cortem relações diplomáticos com a Rússia, no seguimento do que a própria Ucrânia fez hoje.

Decisão de Bruxelas sobre a vacina russa Sputnik V será “impossível” de alcançar ainda este ano

A revisão da eficácia da vacina por parte da entidade arrancou em março deste ano com a previsão de que a sua aprovação ou rejeição seria anunciada entre maio e junho. Agora, fonte da EMA garante que a decisão só chegará no primeiro semestre de 2022.

PremiumMoïse é o último caso da longa lista de estadistas assassinados

Presidente do Haiti tornou-se o sétimo chefe de Estado ou Governo a ter morte violenta no século XXI. Atentados e golpes militares eram mais comuns nos anos 70 e já quase não acontecem no Ocidente.
Comentários