Negociações entre Turquia, Finlândia e Suécia pouco avançaram

Além de não terem sido feitos grandes avanços também não há data para uma nova reunião. No entanto, um alto funcionário turco disse que os países nórdicos fizeram promessas durante o encontro que vão formalizar em breve.

Recep Tayyip Erdogan

As negociações entre autoridades turcas e delegações da Suécia e da Finlândia pouco avançaram no sentido de superar as objeções de Ancara às suas propostas de adesão à NATO, revelaram duas fontes à “Reuters”.

Diplomatas suecos e finlandeses tinham-se reunido na Turquia na quarta-feira na tentativa de apaziguar o membro da NATO, a Turquia, a chegar a um acordo que permitiria um aumento histórico da aliança ocidental diante da invasão russa da Ucrânia.

“Não é um processo fácil”, disse um alto funcionário turco, acrescentando que a Suécia e a Finlândia devem tomar medidas “difíceis” para ganhar o apoio de Ancara. “Novas negociações continuarão. Mas um encontro não parece estar para muito perto”, referiu. O alto funcionário turco também apontou que a Suécia e a Finlândia fizeram promessas nas negociações que devem ser formalizadas num futuro próximo.

Uma pessoa próxima à situação disse que as negociações não fizeram progressos claros e terminaram sem cronograma para continuar, levantando a perspetiva de que a Turquia ainda pode opor-se às propostas de adesão quando a NATO realizar uma cimeira em 29 e 30 de junho em Madrid. As discussões de cinco horas foram cordiais e incluíram sessões separadas entre autoridades turcas e os dois países nórdicos, seguidas de conversações a três com todas as partes.

Esta sexta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Mevlut Cavusoglu, referiu que a Turquia esperava que a Suécia e a Finlândia tomassem medidas concretas antes de levantar as suas objeções.

Os ministérios dos Negócios Estrangeiros sueco e finlandês não responderam imediatamente aos pedidos de comentário. No entanto, os dois países disseram que condenam o terrorismo e saudaram a possibilidade de se coordenar com Ancara.

A 16 de maio o presidente Tayyip Erdogan garantiu que a Turquia não ia dizer “sim” à adesão da Suécia e da Finlândia à NATO. “Não diremos ‘sim’ àqueles (países) que aplicam sanções à Turquia para se juntarem à organização de segurança NATO”, disse o presidente turco, segundo a “AFP”.

“Estes dois países não têm uma posição clara contra as organizações terroristas. Inclusive quando dizem que são contra elas, não entregam os terroristas que deveriam entregar. Não podem enganar-nos duas vezes”, sublinhou Erdogan.

Recomendadas

Israel abateu três drones do Hezbollah no Mediterrâneo

O exército israelita afirmou hoje que abateu três drones do grupo xiita libanês Hezbollah e que se dirigiam a um campo de gás no Mediterrâneo, numa área marítima disputada pelos dois países.

Manifestações pelo direito ao aborto reúnem milhares em França

Várias manifestações ocorreram hoje em França em defesa do direito ao aborto e para manifestar apoio às mulheres norte-americanas, depois da decisão, na semana passada, do Supremo Tribunal dos Estados Unidos, de revogar esse direito.

Marcelo parte para São Paulo ainda sem “comunicação por escrito” de Bolsonaro

O chefe de Estado português afirmou hoje, antes de partir do Rio de Janeiro para São Paulo, que continua sem receber nenhuma “comunicação por escrito” do Presidente do Brasil a cancelar o almoço de segunda-feira em Brasília.
Comentários