Negociações para o Brexit prologam-se pelo fim de semana. Parlamento Europeu pede que se chegue a acordo no domingo

Parlamento Europeu urgiu que Londres e Bruxelas chegassem a acordo este domingo de modo a que uma resolução para o Brexit fique retificada antes do final do período de transição, que termina no dia 31 de dezembro.

Stefan Wermuth / Reuters

As negociações para o Brexit, mais especificamente o acordo comercial, deverão prolongar-se pelo fim de semana, com ambas as partes a garantir que estão cada vez mais perto de uma resolução.

Segundo a notícia avançada pelo “The Guardian”, tanto o número 10 de Downing Street como a Comissão Europeia garantem que já se avista uma luz ao fundo do túnel, mas as questões das pescas e de concorrência continuam por ficar esclarecidas. Face a este impasse, o Parlamento Europeu urgiu Bruxelas e Londres a chegar a um acordo, pelo menos, até domingo de modo a que uma resolução para o Brexit fique retificada antes do final do período de transição, que termina no réveillon para o país deixar efetivamente a lista de Estados-membros no primeiro dia do ano.

Michael, o ministro do Cabinet Office, já tinha indicado que as negociações comerciais com a União Europeia sobre o Brexit poderão arrastar-se até depois do Natal, apesar de reiterar que o Reino Unido espera chegar a um acordo comercial com Bruxelas antes disso.

“Quando pensamos sobre o verdadeiro prazo [31 de dezembro 2020], espero que possamos concluir um acordo o mais rápido possível, mas as negociações podem continuar até depois do Natal”, disse Gove numa comissão parlamentar em Londres.

Se o acordo for alcançado até segunda-feira poderá realizar-se uma reunião plenária de emergência até ao fim deste mês, porque os eurodeputados pretendem “debater o resultado das negociações e considerar se dá o seu consentimento”, segundo o comunicado da conferência de presidentes da instituição, que se reuniu hoje.

Michael Gove assegurou que as negociações não vão prolongar-se para lá de 2021 e que tanto o Reino Unido como a União Europeia negociarão através da Organização Mundial do Comércio se não houver o tal acordo de livre comércio (FDA, na sigla anglo-saxónica). “É claro que haverá, tal como haveria entre qualquer conjunto de vizinhos, conversas”, declarou o ministro britânico, citado pela agência “Reuters”.

Recomendadas

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,

Ucrânia. PM de Moçambique diz que “interesses do país” levaram a abster-se de condenar Rússia

“Não estamos a tomar posição nem de um lado, nem do outro. Estamos a tomar aquilo que a nossa Constituição nos diz para fazer e que é bom para o país e para os interesses de Moçambique”, salientou o primeiro-ministro moçambicano.

Lavrov acusa os EUA de “brincarem com o fogo” em Taiwan

Sergei Lavrov diz que os EUA estão a tentar fazer do mundo “o seu quintal” através da aplicação de sanções e acusa-os de “brincarem com o fogo” em Taiwan.
Comentários