Nova Zelândia anuncia novas sanções “significativas” contra a Rússia

O Governo da Nova Zelândia anunciou hoje que serão impostas novas sanções “significativas” contra a Rússia, incluindo a oligarcas e empresas consideradas responsáveis ou associadas à invasão da Ucrânia. “Um projeto de lei desta natureza nunca foi apresentado ao nosso parlamento, mas com a Rússia a vetar as sanções da ONU, devemos agir nós próprios […]

9 – Nova Zelândia

O Governo da Nova Zelândia anunciou hoje que serão impostas novas sanções “significativas” contra a Rússia, incluindo a oligarcas e empresas consideradas responsáveis ou associadas à invasão da Ucrânia.

“Um projeto de lei desta natureza nunca foi apresentado ao nosso parlamento, mas com a Rússia a vetar as sanções da ONU, devemos agir nós próprios para apoiar a Ucrânia e os nossos parceiros na oposição a esta invasão”, disse a primeira-ministra, Jacinda Ardern, citada pelo jornal New Zealand Herald.

Ardern explicou que as sanções vão congelar bens russos na Nova Zelândia, impedir que pessoas e empresas transfiram dinheiro e bens para o país, e impedir que iates, navios e aviões entrem nas águas ou no espaço aéreo da Nova Zelândia.

A primeira-ministra sublinhou que “o projeto de lei também permite que sejam impostas sanções contra outros Estados cúmplices das ações ilegais da Rússia, tais como a Bielorrússia”.

Por outro lado, Ardern encorajou a China a “tomar uma posição sobre o que aconteceu na Ucrânia”.

Hoje, o seu homólogo australiano, Scott Morrison, instou Pequim a condenar a invasão russa.

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que, segundo as autoridades de Kiev, já fez mais de 2.000 mortos entre a população civil.

Os ataques provocaram também a fuga de mais de 1,5 milhões de pessoas para os países vizinhos, de acordo com a ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

Recomendadas

Ucrânia. Preço do gás com novo máximo devido a paragem anunciada no Nord Stream

O preço do gás europeu continuou hoje a aumentar atingindo um novo recorde no encerramento, depois de ter sido anunciado que o fornecimento de gás através do gasoduto Nord Stream será interrompido durante três dias.

França nega “obstáculo” às exportações russas e vê “instrumentalização”

A presidência francesa defendeu hoje que não existe “obstáculo” às exportações de produtos agrícolas russos, considerando as críticas nesse sentido do chefe de Estado da Rússia, Vladimir Putin, uma tentativa de “instrumentalização política”.

EUA propõem Zelensky na cimeira do G20 se Putin também participar

Os EUA propuseram que o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, também participe na cimeira dos líderes do G20 se o seu homólogo russo, Vladimir Putin, aceitar o convite da Indonésia e comparecer na reunião, marcada para novembro em Bali.
Comentários