Novo líder da UGT defende atualizações salariais de 1,3% na Função Pública

“A inflação andou em 2021 nos 1,3%. [A atualização salarial] devia ser muito próxima de 1,3%”, afirma Mário Mourão, que deverá ser confirmado como o novo secretário-Geral da UGT este domingo.

Mário Mourão, que deverá ser confirmado como novo o secretário-geral da UGT este domingo, diz que não aceita discutir aumentos na função pública abaixo de 1%, garantindo estar preparado para o diálogo, mas também para a contestação social.

“A inflação andou em 2021 nos 1,3%. [A atualização salarial] devia ser muito próxima de 1,3%”, afirma em entrevista ao “Jornal de Negócios” e à “Antena 1”. De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Setor Financeiro de Portugal (SBN), o “Estado é aquele que primeiro tem de dar o exemplo, para depois exigir às empresas”.

“Julgo que o Governo deve estar disponível para com os sindicatos da administração pública encontrar as melhores soluções” e que tem “condições hoje até para ir ao encontro daquilo que tem sido o seu discurso de que é preciso acabar com a política de salários baixos em Portugal”, refere.

O 14.º congresso da UGT começa este sábado em Santarém, numa reunião marcada pela saída de Carlos Silva da liderança depois de nove anos como secretário-geral, para dar lugar a Mário Mourão. Este congresso deveria ter-se realizado em abril de 2021, mas foi adiado mais do que uma vez por causa da pandemia da Covid-19.

Recomendadas

OMS prevê o aparecimento de mais casos de varíola dos macacos

O foco e rota de contágio ainda não foram estabelecidos, mas a OMS já prevê que os casos de varíola dos macacos continuarão a aparecer. Doença foi detetada nos últimos dez dias em 12 países.

Candidaturas nórdicas à NATO e Azovstal marcam terceiro mês da guerra na Ucrânia

O terceiro mês da guerra na Ucrânia ficou marcado pela candidatura sueca e finlandesa à NATO, pelo crescente isolamento da Rússia e pelo fim da resistência de Mariupol.

Formação é uma oportunidade de desenvolvimento

Conjuntura não permite antecipar andamento da procura em 2022, mas a “corrida” da formação faz-se no longo prazo.
Comentários