PremiumO império russo de Isabel Dosovna Kukaeva

Isabel dos Santos passou a ser Isabel Dosovna Kukaeva. Cidadã russa, detém uma rede de sociedades ‘offshore’, contas em vários bancos, é uma ‘trader’ de petróleo e lidera a venda de bilhetes na Rússia.

Isabel dos Santos, filha do ex-presidente angolano, José Eduardo dos Santos, passou a ser Isabel Dosovna Kukaeva, cidadã russa, com passaporte russo, num processo diretamente acompanhado pelo presidente Vladimir Putin. Contactada pelo Jornal Económico (JE), Isabel dos Santos foi confrontada com esta informação e também com um conjunto de dados obtidos pelo JE de várias fontes, relacionados com a sua atividade profissional em diversas geografias.

Entre as informações a que o JE teve acesso figura o relacionamento profissional de Isabel dos Santos com a petrolífera russa Rosneft e o seu chairman, Igor Sechin, os projetos que desenvolveu para a Rosneft em Mocambique, no Iraque, na Turquia, entre outros, bem como os investimentos concretizados em 2018 na Russia.

No Dubai, Isabel dos Santos detém 25% da companhia “Nafta N FZE LLC”, com sucursal em Baku, no Azerbaijão – presidida por Nasreddin Aliev. A Nafta é uma das sete companhias independentes acreditadas pela SOCAR Trading, que licencia os procedimentos de exportação de petróleo e gás para a corporação SOCAR, do Azerbaijão, o principal abastecedor petrolífero da refinaria da Emirates National Oil Company (ENOC) no Dubai, em Jebel Ali.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Violência doméstica. APAV junta-se à hamburgueria A-100 em ação de sensibilização

A hamburgueria compromete-se a doar à APAV um euro por cada sobremesa vendida esta sexta-feira e vai iniciar uma angariação de fundos na sua página de Instagram até ao final do ano, com o dinheiro a reverter a favor da associação.

PremiumGoverno acusado de favorecer vencedores dos leilões de energia solar

Governo aprovou medidas para os projetos obterem financiamento e saírem do papel, mas vários promotores consideram medida injusta para o restante sector. Tutela fala de “circunstâncias imprevisíveis” como a Covid e a guerra.

Mais de 30% dos empresários considera que semana de 4 dias só beneficia trabalhadores

Mais de um terço dos empresários considera que a semana de quatro dias apenas será benéfica para os trabalhadores, enquanto cerca de um terço acredita que não traz benefícios a qualquer das partes, segundo um estudo da AEP, hoje divulgado.
Comentários