O seu iPhone está mais lento? A teoria da conspiração que a Apple confirmou

Depois do acumular de queixas sobre o desempenho dos telefones anteriores ao iPhone X, a empresa norte-americana explicou o problema e confirmou que começou a reduzir o desempenho do iPhone 6, 6S e SE.

REUTERS/Regis Duvignau

Com o lançamento do último iPhone da Apple, muitos proprietários de modelos mais antigos reclamaram que o desempenho dos seus telemóveis começaram a piorar. Depois de muitos comentários sobre a matéria nas redes sociais e fóruns sobre como os iPhones, agora a própria empresa a reconhecer que, de facto, o desempenho de telefones antigos está a piorar.

Especificamente, a Apple explicou que, desde o ano passado, começou a reduzir o desempenho do iPhone 6, 6S e SE que tinha uma bateria com pouca capacidade para evitar que se desligassem inesperadamente, o que serve para proteger o resto de componentes do dispositivo.

Esta atualização, que veio da atualização do iOS 10.2, também foi estendida ao iOS 11.2 para abarcar também o iPhone 7 quando este modelo se encontrava no mercado há um ano, já que o lançamento desta atualização do sistema operacional veio quando já se podia comprar o iPhone 8 e X.

A Apple explicou ao site The Verge que decidiu reduzir a frequência da CPU nos terminais que determinam que a bateria desaparece a partir de um certo nível de degradação, mas não deu explicações detalhadas sobre que nível é esse.

Em comunicado, a Apple explica que “o seu objetivo é proporcionar a melhor experiência aos clientes, que inclui o desempenho geral e prolongar a vida de seus dispositivos”. As baterias de iões de lítio são menos capazes de atender exigências atuais quando estão em baixas temperaturas, têm baixa carga da bateria ou idade prolongada, o que pode fazer com que o dispositivo se desligue inesperadamente para proteger os seus componentes eletrónicos”.

Neste momento, a única alternativa possível para os utilizadores que queiram evitar esta dificuldade é mudarem de bateria.

Recomendadas

Nextbitt quer ganhar terreno no exterior enquanto investe no desenvolvimento tecnológico aliado à sustentabilidade

Numa conversa com jornalistas durante a manhã desta quarta-feira, Miguel Salgueiro, partner da NextBITT, deu a conhecer a estratégia delineada pelo grupo para a evolução da sua oferta e da sua plataforma visando os desafios ambientais com os quais o sector se depara.

Mercado das Tecnologias da Informação vai ultrapassar os 5 mil milhões em Portugal este ano, estima IDC

Os especialistas da consultora anteveem ainda que a transformação digital vá representar metade de todo o investimento nacional em TIC o até o final de 2025.

5G pode impactar PIB português em 18 mil milhões de euros até 2030, estima Ericsson

Apesar do enorme potencial, Andrés Vicente, CEO da Ericsson Iberia, aponta severos atrasos na implementação desta tecnologia em Portugal e na Europa. “Ao contrário de outras economias europeias, Portugal não colocou o 5G como vetor independente do PRR”, alerta este responsável em entrevista ao JE.
Comentários