Olivier da Costa inaugura Yakuza em Paris

Passam a ser quatro os restaurantes do chef Olivier fora de Portugal. Desta vez é o conceito Yakuza, cozinha japonesa com inspiração mediterrânica que abre portas numa zona nobre de Paris, no Maison Albar Hotels – Le Vendome.

Abre dia 9 de setembro o Yakuza Paris. No coração da Cidade Luz, perto de ícones da sua história como a Ópera e o Museu do Louvre, e no interior de um dos hotéis de maior relevo da capital francesa, este é o quinto restaurante Yakuza by Olivier e o primeiro a nível internacional.

A inauguração do Yakuza Paris na unidade hoteleira Maison Albar Hotels – Le Vendome constitui o segundo estágio da ligação de Olivier da Costa ao grupo francês, com quem abriu há um ano o Yakuza Porto no Le Monumental Palace, na Avenida dos Aliados. Uma ligação profícua que o empresário português – que em 2021 celebra 25 anos de carreira – detém com grupos hoteleiros internacionais.

Representa ainda uma nova fase na internacionalização do chef português, que passa a estar presente em quatro países de três continentes, depois de Portugal, Brasil e Tailândia.

Criador de seis conceitos gastronómicos de sucesso – Guilty by Olivier, K.O.B, SEEN, Clássico Beach Bar, Savage e o restaurante que traduz a simbiose do melhor da comida japonesa com as notas de autor mediterrânicas, o Yakuza by Olivier – Olivier da Costa abre agora o seu 18.º restaurante, o quarto fora de portas, após levar o SEEN a São Paulo, Bangkok e Koh Samui. O empresário, seguidor das pisadas do seu pai, o conceituado chef francês Michel da Costa – primeiro a obter a Estrela Michelin em Portugal –, prepara ainda a introdução de mais um conceito no seu portefólio e a expansão para outras cidades europeias.

Uma experiência única

Com o Yakuza Paris está assegurada uma experiência gastronómica única na cidade para onde viajou o icónico samurai que marca a entrada do espaço, inaugurado em abril deste ano, o Yakuza Lisboa. Tal como no espaço da Avenida da Liberdade, também o restaurante no Maison Albar Hotels – Le Vendome, na zona da Ópera parisiense, resulta num conceito estilístico orientado pelo próprio Olivier da Costa.

Após passar a porta dourada no lobby do hotel, situado no número 7 da Rue du Hélder, recebe-nos o samurai, que nos incita a mergulhar numa atmosfera intimista imaginada pelo arquiteto Fabien Roque, com paredes decoradas com arte urbana e iluminação suave. Orientado para o jardim exterior, o bar coloca-nos perante o dilema da escolha de alguns dos cocktails by Olivier, e dois passos adiante vemos a zona de preparação onde os sushimen prepararam a excecional cozinha de fusão. À mesa ou ao balcão é servido o melhor peixe de Paris.

À carta vão momentos únicos com o selo Yakuza, com grande destaque para a Pata de Caranguejo grelhada com Molho Miso, criação que já conquistou os clientes em Lisboa e também no Yakuza Algarve, e agora avança para Paris. Da cozinha de autor sai ainda o Kobe Gunkan com Wagyu, foie gras, cebola confitada e teriyaki. Uma carta contemporânea e refinada que se eleva ainda mais com mais algumas das propostas do menu de influência mediterrânica, sejam os tacos Sakana, as tempuras, a clássica robata, grelha japonesa, ou ainda as gyozas, gunkans e makizushis. A finalizar, os clientes ficarão a conhecer o sabor da mousse de chocolate Kit-Kat, numa conquista lusitana dos paladares parisienses.

Tudo acompanhado por música lounge, com DJ nas noites de quinta-feira a sábado. Para momento intimistas há um lounge privado que acomoda até oito pessoas. Numa combinação de notas japonesas e francesas na experiência, o Yakuza Paris sabe reavivar a herança festiva do cabaret parisiense Lion D’Or, que naquele mesmo local se tornou ponto de paragem da alta sociedade na década de 1880.

Reservas através do tel.: 0033 187 443 888 ou do email: yakuzaparis@olivier.pt

Saiba mais em Yakuza  

Recomendadas

“Trair e Coçar é só começar” vai ter dois ensaios solidários

O público português tem a oportunidade de assistir aos últimos ensaios antes da grande estreia e apoiar, assim, duas associações de solidariedade.

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.

PremiumFada ou bruxa? Uma duquesa que incomoda muita gente

Sociopata narcisista”. Uma classificação nada abonatória, mas é assim que é descrita Meghan Markle por ex-funcionários do Palácio de Buckingham que trabalharam para os duques de Sussex, segundo o que é revelado no novo livro de Valentine Low, que escreve sobre assuntos reais para o “The Times”.
Comentários