Olivier da Costa inaugura Yakuza em Paris

Passam a ser quatro os restaurantes do chef Olivier fora de Portugal. Desta vez é o conceito Yakuza, cozinha japonesa com inspiração mediterrânica que abre portas numa zona nobre de Paris, no Maison Albar Hotels – Le Vendome.

Abre dia 9 de setembro o Yakuza Paris. No coração da Cidade Luz, perto de ícones da sua história como a Ópera e o Museu do Louvre, e no interior de um dos hotéis de maior relevo da capital francesa, este é o quinto restaurante Yakuza by Olivier e o primeiro a nível internacional.

A inauguração do Yakuza Paris na unidade hoteleira Maison Albar Hotels – Le Vendome constitui o segundo estágio da ligação de Olivier da Costa ao grupo francês, com quem abriu há um ano o Yakuza Porto no Le Monumental Palace, na Avenida dos Aliados. Uma ligação profícua que o empresário português – que em 2021 celebra 25 anos de carreira – detém com grupos hoteleiros internacionais.

Representa ainda uma nova fase na internacionalização do chef português, que passa a estar presente em quatro países de três continentes, depois de Portugal, Brasil e Tailândia.

Criador de seis conceitos gastronómicos de sucesso – Guilty by Olivier, K.O.B, SEEN, Clássico Beach Bar, Savage e o restaurante que traduz a simbiose do melhor da comida japonesa com as notas de autor mediterrânicas, o Yakuza by Olivier – Olivier da Costa abre agora o seu 18.º restaurante, o quarto fora de portas, após levar o SEEN a São Paulo, Bangkok e Koh Samui. O empresário, seguidor das pisadas do seu pai, o conceituado chef francês Michel da Costa – primeiro a obter a Estrela Michelin em Portugal –, prepara ainda a introdução de mais um conceito no seu portefólio e a expansão para outras cidades europeias.

Uma experiência única

Com o Yakuza Paris está assegurada uma experiência gastronómica única na cidade para onde viajou o icónico samurai que marca a entrada do espaço, inaugurado em abril deste ano, o Yakuza Lisboa. Tal como no espaço da Avenida da Liberdade, também o restaurante no Maison Albar Hotels – Le Vendome, na zona da Ópera parisiense, resulta num conceito estilístico orientado pelo próprio Olivier da Costa.

Após passar a porta dourada no lobby do hotel, situado no número 7 da Rue du Hélder, recebe-nos o samurai, que nos incita a mergulhar numa atmosfera intimista imaginada pelo arquiteto Fabien Roque, com paredes decoradas com arte urbana e iluminação suave. Orientado para o jardim exterior, o bar coloca-nos perante o dilema da escolha de alguns dos cocktails by Olivier, e dois passos adiante vemos a zona de preparação onde os sushimen prepararam a excecional cozinha de fusão. À mesa ou ao balcão é servido o melhor peixe de Paris.

À carta vão momentos únicos com o selo Yakuza, com grande destaque para a Pata de Caranguejo grelhada com Molho Miso, criação que já conquistou os clientes em Lisboa e também no Yakuza Algarve, e agora avança para Paris. Da cozinha de autor sai ainda o Kobe Gunkan com Wagyu, foie gras, cebola confitada e teriyaki. Uma carta contemporânea e refinada que se eleva ainda mais com mais algumas das propostas do menu de influência mediterrânica, sejam os tacos Sakana, as tempuras, a clássica robata, grelha japonesa, ou ainda as gyozas, gunkans e makizushis. A finalizar, os clientes ficarão a conhecer o sabor da mousse de chocolate Kit-Kat, numa conquista lusitana dos paladares parisienses.

Tudo acompanhado por música lounge, com DJ nas noites de quinta-feira a sábado. Para momento intimistas há um lounge privado que acomoda até oito pessoas. Numa combinação de notas japonesas e francesas na experiência, o Yakuza Paris sabe reavivar a herança festiva do cabaret parisiense Lion D’Or, que naquele mesmo local se tornou ponto de paragem da alta sociedade na década de 1880.

Reservas através do tel.: 0033 187 443 888 ou do email: yakuzaparis@olivier.pt

Saiba mais em Yakuza  

Recomendadas

Desvendar o enigma Aurélia de Souza

Uma mulher livre e uma artista que cultivou a liberdade. Das suas convicções e visão do mundo, sem deixar de ser fruto do seu mundo e tempo. Aurélia de Souza de seu nome, é o cerne da exposição “Vida e Segredo” no Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto.

“Modo goblin”. A recém-eleita ‘palavra’ de 2022 da Oxford espelha o peso da realidade

O termo refere-se a “um tipo de comportamento que é assumidamente autoindulgente, preguiçoso ou desleixado, tipicamente de uma forma que rejeita normas ou expectativas sociais”. “Dado o ano que estamos a viver, o ‘modo goblin’ ressoa em todos nós que estamos um pouco sobrecarregados neste momento”, disse Grathwohl, citado pelo “The Guardian”.

PremiumNancy Pelosi: o render da guarda da guardiã dos velhos democratas

Devidamente independente para uns, demasidado independente para outros, a “louca Nancy Pelosi”, como Trump lhe chamava, é apenas dois anos mais velha que Joe Biden
Comentários