ONU nomeia assessora de Biden como próxima diretora executiva da UNICEF

Sobre a nomeação Joe Biden disse que Catherine Russell estava “excecionalmente bem preparada” para chefiar a UNICEF.

REUTERS/Denis Balibouse

As Nações Unidas anunciaram, esta sexta-feira, a nomeação de Catherine Russell, assessora do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, como a próxima diretora executiva da UNICEF.

“Russell traz para a função décadas de experiência no desenvolvimento de políticas inovadoras que capacitam comunidades carentes em todo o mundo”, disse o porta-voz da ONU Stephane Dujarric, segundo a “Reuters”. Atualmente Russell é diretora do Gabinete pessoal presidencial da Casa Branca e assistente do presidente.

Sobre a nomeação Joe Biden disse que Russell estava “excecionalmente bem preparada” para chefiar a UNICEF. “Vamos sentir a falta da Cathy. Mas a nossa perda será o ganho da UNICEF”, completou.

De acordo com a ONU Catherine Russell serviu como embaixadora para questões globais da mulher no departamento de Estado dos EUA sob a administração do ex-presidente Barack Obama.

Por sua vez, um porta-voz da ONU disse em julho que a diretora executiva da UNICEF, Henrietta Fore, planeava renunciar ao cargo para lidar com um problema de saúde familiar.

Desde a fundação da agência infantil UNICEF em 1946, todos os seus diretores executivos são americanos.

Recomendadas

Irão: Guarda Revolucionária ataca grupos curdos no Iraque

A poderosa Guarda Revolucionária do Irão desencadeou hoje uma onda de ataques com ‘drones’ e artilharia no norte do Iraque, visando o que Teerão diz serem bases de separatistas curdos iranianos, indicou agência noticiosa semioficial Tasnim.

António Guterres pede fim da “era da chantagem nuclear” e apela a “recuo”

O secretário-geral da ONU, António Guterres, apelou hoje ao fim da “era da chantagem nuclear”, afirmando que o uso de armas nucleares levaria a um “armageddon humanitário”, tornando necessário um “recuo” face às atuais tensões.

Ucrânia. Reino Unido sanciona organizadores de “referendos fraudulentos”

O Reino Unido anunciou hoje sanções contra 33 indivíduos ligados a “referendos fraudulentos” sobre a integração na Rússia de regiões da Ucrânia sob ocupação russa.
Comentários