Operação “Caixa Automática”: PJ detém três suspeitos de roubos a ATM

Desmantelada organização criminosa que se dedicava ao furto de ATM através de explosão. Foram detidos três suspeitos e apreendidos vários elementos de prova como cilindros carregados com gás explosivo, cabos elétricos, e até armas de calibre de guerra.

A Polícia Judiciária (PJ) desmantelou uma organização criminosa que, a partir da região da grande Lisboa, se dedicava à prática de furtos a caixas multibanco através de explosão. Foram detidos três suspeitos e apreendidos elementos de prova como cilindros carregados com gás explosivo, baterias, cabos elétricos, e, inclusive, armas  de calibre de guerra.

“A Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional Contra-Terrorismo (UNCT), no âmbito de inquérito titulado pelo DIAP de Lisboa, desmantelou uma organização criminosa que, a partir da região da grande Lisboa, se dedicava à prática de furtos a caixas multibanco através de explosão”, avança a PJ em comunicado.

Segundo a PJ, no decurso da operação realizada foram detidos três homens, com idades compreendidas entre os 27 e os 30 anos, e foram apreendidos relevantes elementos de prova, designadamente cilindros carregados com gás explosivo, baterias, cabos elétricos, mangueiras, diversas partes integrantes de caixas multibanco, armas de fogo, uma delas de calibre de guerra, várias viaturas automóveis e inúmeros objetos produto do crime bem como relevantes elementos de prova.

Nesta investigação a Polícia Judiciária contou com a colaboração da Polícia de Segurança Pública e da Guarda Nacional Republicana, força que interveio na abordagem aos suspeitos.

Os detidos serão presentes a primeiro interrogatório judicial para a aplicação da medida de coação tida por conveniente junto do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

SICAD alerta para o risco da pobreza fazer renascer consumos dos anos 80 e 90

O diretor-geral do serviço de intervenção nas dependências alertou hoje para o risco da pobreza fazer renascer os consumos “catastróficos” dos anos 80 e 90, caso não seja reforçada a resposta que está muito carenciada de meios humanos.

Família unida, coesão do Reino Unido e Commonwealth: os desafios do rei Carlos III em análise

“Isabel II: Rainha e Mulher” é o novo livro de Alberto Miranda, jornalista e especialista em famílias reais. Nesta entrevista ao JE, este especialista aponta aqueles que serão os três maiores desafios do seu sucessor no trono britânico, o rei Carlos III.
Comentários