Orçamento do Estado 2022 aprovado na generalidade apenas com votos a favor do PS

O PSD, Chega, Iniciativa Liberal, Bloco de Esquerda e PCP votaram contra e o PAN e Livre abstiveram-se. A votação final global decorrerá a 27 de maio.

O Orçamento do Estado foi aprovado na generalidade, esta sexta-feira, apenas com votos a favor do PS. O PSD, Chega, Iniciativa Liberal, Bloco de Esquerda e PCP votaram contra e o PAN e Livre abstiveram-se. A votação final global decorrerá a 27 de maio.

Há uma semana o PSD anunciou que ia votar contra o diploma, numa ocasião em que o líder, Rui Rio, considerou que o documento não estimula o crescimento económico e quebra “promessas eleitorais” do Governo como acontece com o aumento dos salários que devido ao aumento da inflação vão ter “um corte real”.

Ontem foi a vez do Chega que avançou igual voto contra o OE2022. O presidente do Chega esclareceu que o documento “mantém a espinha dorsal do Orçamento do Estado chumbado em outubro do ano passado, quando não tínhamos nem guerra na Europa, nem o surto inflacionista a que estamos a assistir”.

Também a Iniciativa Liberal rejeitou o diploma, quando o presidente João Cotrim Figueiredo explicou que o Orçamento continha falhas de “credibilidade, de honestidade e de ambição”. O liberal sublinhou ainda que o OE “não é credível no que diz respeito à quantificação”.

À esquerda, o deputado Bruno Dias do PCP explicou ao Jornal Económico que o partido votava contra o diploma, visto que este “está muito longe de responder aos problemas principais que o país enfrenta neste momento”. “Está mais longe ainda do que estava em outubro”, assegurou.

No Bloco de Esquerda, o líder parlamentar, Pedro Filipe Soares, justificou a rejeição do documento com o argumento de que o atual Orçamento “repete o mesmo diploma apresentado em outubro passado e que, já nessa altura, o Bloco de Esquerda considerou que não estava à altura das necessidades do país”.

Ao contrário dos restantes partidos tanto o PAN como o Livre abstiveram-se deixando assim a porta aberta ao Governo para negociações na especialidade.

 

Relacionadas

Esquerda mantém voto contra OE2022 e critica falta de apoios aos trabalhadores

“A inflação permite um brutal aumento da receita fiscal, mas o Governo decidiu não usar essa receita para apoiar quem trabalha e vê o salário comido pela inflação”, disse Catarina Martins no Parlamento. E Jerónimo de Sousa fez uma comparação direta desta proposta com a dos da Geringonça: “o tempo de conquista de direitos acabou mesmo”, declarou.

OE2022: Partidos de direita lamentam falta de ambição e reformismo do Executivo

Rui Rio acusou o Governo de se apoiar na inflação para “enganar as pessoas”, enquanto os liberais apontam falhas na ambição e no sistema educativo e de saúde. Chega lamenta que, na justiça, esta não seja uma proposta “que acabe de uma vez por todas com o Ricardos Salgado e Joões Rendeiro à solta neste país”.
Recomendadas

Linhas de capitalização. Saiba tudo na próxima JE Talks, esta quinta-feira

Esta quinta-feira, às 17h00, o jornalista José Carlos Lourinho conversa com líderes da consultoria para tirar o pulso aos programas e linhas de financiamento disponíveis.

Assista esta quinta-feira à JE Talks: Eficiência Energética

O Jornal Económico dinamiza esta quinta-feira uma conversa sobre as metas em torno da eficiência energética e quais os próximos passos que o tecido empresarial deve tomar. Assista a esta JE Talks moderada pelo jornalista José Carlos Lourinho a partir das 15h00.

Orçamento do Estado entra em vigor amanhã (com áudio)

O Orçamento do Estado entra em vigor esta terça-feira, mantendo-se até ao final do ano. Lei inclui, por exemplo, um aumento extraordinário das pensões até 1.108 euros.
Comentários