Orçamento Regional: Despesas de capital devem descer 38 milhões de euros na Madeira

O orçamento prevê ainda uma descida de 19 milhões na despesa corrente e uma subida de 12 milhões para juros e encargos, disse Pedro Calado, em audição parlamentar na Assembleia Legislativa da Madeira.

Dado Ruvic/Reuters

O Orçamento Regional prevê uma descida de 38 milhões de euros em despesas de capital, disse Pedro Calado, vice-presidente do Governo Regional, durante uma audição parlamentar em sede da 2ª comissão de Economia, Finanças e Turismo da Assembleia Legislativa da Madeira, que decorreu esta segunda-feira.

As despesas correntes devem descer 19 milhões de euros, enquanto que a verba alocada para os juros e encargos sobe 12 milhões de euros, esclareceu o governante. Em comparação com o Orçamento Rectificativo, afirmou Pedro Calado, vai existir menos 17,9 milhões de euros em 2019.

Para 2019 está prevista uma verba de 169 milhões de euros para dar resposta a amortizações.

Relacionadas

Para onde vão os 1,9 mil milhões de euros do Orçamento Regional da Madeira?

O Orçamento Regional da Madeira para 2019 está recheado com sensivelmente mais 100 milhões de euros. As secretarias regionais engordam enquanto que as verbas afectas à presidência do Governo Regional e à vice-presidência são mais reduzidas. A Assembleia Legislativa Regional mantém a mesma dotação orçamental.

Competitividade e internacionalização concentra 43,1% do plano de investimentos da Madeira

A Secretaria Regional do Equipamento e Infraestruturas vai ser responsável por gerir 47,1% do montante alocado ao plano de investimentos da Madeira. O Funchal vai beneficiar de 135 milhões de euros, de um plano que tem uma verba de 680 milhões de euros.
Recomendadas

Madeira: Marta Freitas volta a representar PS no Conselho Consultivo sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

Marta Freitas, que já havia assumido esta posição no mandato anterior, foi agora reconduzida pelo Grupo Parlamentar Socialista, tendo tomado posse esta segunda-feira.

Saiba em que consiste a etiqueta energética e a sua importância na compra de equipamentos elétricos

A nova etiqueta energética já é uma realidade no nosso mercado. Os consumidores precisam de conhecer esta ferramenta, útil e intuitiva, para escolher os seus eletrodomésticos de forma esclarecida e eficiente.

Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira celebra novo protocolo com a Escola Nacional de Bombeiros

O protocolo é válido por tempo indeterminado, permitindo ainda o intercâmbio entre formandos e formadores do SRPC e da ENB, em várias áreas formativas.
Comentários