Os nove problemas da economia angolana, segundo o FMI

O Fundo Monetário Internacional aprovou, no início deste mês, o terceiro desembolso no valor de 247 milhões de dólares.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) diz que o programa económico de Angola permanece nos trilhos, apesar dos desafios. O FMI aprovou, no passado dia 5 de dezembro, o terceiro desembolso no valor de 247 milhões de dólares, totalizando 1.48 mil milhões de dólares já desembolsados no âmbito do programa que Angola subscreveu no ano passado.

Contudo, a instituição liderada por Kristalina Ivanova Gueorguieva considera que “Angola continua a enfrentar um ambiente externo deteriorado, o que está a impactar as perspetivas económicas do pais” e identificou nove cancros da economia angolana:

1 -Combate das questões sociais

2 – Relações diretas de correspondência bancária em dólares americanos

3 – Ambiente de negócio ainda é desafiador

4 – Esforços para melhorar a governança precisam continuar, assim também como os esforços para combater a corrupção

5 – Autonomia do BNA para cumprir com o seu mandato

6 – Gestão das finanças públicas necessita melhorias

7 – Privatização do sector público de forma transparente e em linha com as melhores práticas internacionais

8 – Continuar com os esforços para certificação e pagamento de atrasados do Governo

9 – Salvaguardar a sustentabilidade da dívida pública

Recomendadas

ONU em São Tomé elogia autoridades após ataque a quartel e pede que país seja “bom aluno”

Em entrevista à Lusa, Eric Overvest declarou que o escritório da ONU em São Tomé e Príncipe acompanhou, ao longo do dia, os acontecimentos, junto das autoridades, na sequência do assalto, por quatro homens, ao quartel militar, que o primeiro-ministro, Patrice Trovoada, classificou como “tentativa de golpe de Estado”.

PremiumJoe Biden arrisca teto para o preço do petróleo russo

A decisão não conseguiu consenso na União Europeia. Moscovo adverte que pode ser o primeiro passo para uma crise petrolífera sem precedentes. Com a Ucrânia às escuras e com frio, o Kremlin acha que a NATO já está a combater a Rússia.

Ex-ministro das Finanças do Luxemburgo vai liderar fundo de resgate da zona euro

Num comunicado hoje divulgado, o fundo de resgate do euro indica que “o Conselho de Governadores do Mecanismo Europeu de Estabilidade, que junta os 19 ministros das Finanças da moeda única, nomeou hoje o ex-ministro das finanças luxemburguês Pierre Gramegna para o cargo de diretor-executivo”, que ocupa a partir de 1 de dezembro.
Comentários