Países Baixos. Museus transformam-se em cabeleireiros e ginásios para protestar contra as regras da Covid-19 (com áudio)

De acordo com as novas regras, museus, teatros, bares e cafés não têm permissão para abrir portas devido às regras contra a Covid-19, mas cabeleireiros, esteticistas e ginásios podem atender os seus clientes.

Umas têm obras de arte expostas nas paredes e outras são salas de grandes dimensões onde a acústica permite que os concertos sejam memoráveis. Durante o dia de ontem, e em sinal de protesto contra as regras impostas pelo governo para travar a pandemia, museus e locais de concertos decidiram transformar-se em cabeleireiros e ginásios, revela a “BBC”.

Duas esteticistas e um barbeiro ocuparam o museu Van Gogh em Amesterdão para atender os seus clientes e alertar para a dualidade das regras governamentais. Estes profissionais atenderam as suas dezenas de clientes rodeados por obras de arte de valores inestimáveis. Por sua vez, dois barbeiros montaram barbearias provisórias no Concertgebouw, a sala de concertos mais importante da capital dos Países Baixos.

De acordo com as novas regras, museus, teatros, bares e cafés não têm permissão para abrir portas mas cabeleireiros, esteticistas e ginásios podem atender os seus clientes. Esta foi uma forma que o sector cultural encontrou para se manifestar contra as regras que consideram injustas.

“Queríamos deixar claro que uma visita a um museu é segura, e igualmente importante à marcação do salão de unhas, talvez mais. Só pedimos que sejam consistentes… Façam as regras de uma forma que todos entendam”, considerou Emilie Gordenker, diretora do museu Van Gogh.

A diretora do museu esclareceu que este protesto serviu para chamar a atenção governamental e mostrar as distinções que estão a ser feitas entre sectores distintos.

Além do museu Van Gogh, o centro de debates De Balie abriu portas enquanto instituição religiosa Sociedade Filosófica, os museus Mauritshuis, em frente ao parlamento, e Limburgs abriram como ginásios

No Concertgebouw os cortes de cabelos eram acompanhados pela música da orquestra, que pode ensaiar mas não dar concertos.

Recomendadas

Covid-19. Atual vaga provoca 30 milhões de horas de trabalho perdidas

A atual vaga de infeções pelo SARS-CoV-2, que deve atingir o pico na primeira quinzena de junho, vai provocar cerca de 30 milhões de horas de trabalho perdidas, prevê um relatório do Instituto Superior Técnico sobre a pandemia.

Covid-19. Mortalidade vai aumentar e máscara recomendada quando exista risco de contágio

A mortalidade por Covid-19 deverá aumentar em Portugal nos próximos 30 dias, indica um relatório do Instituto Superior Técnico (IST) sobre a pandemia, que recomenda o uso de máscara sempre que exista risco de contágio.

Covid-19. Coreia do Sul prepara-se para pedir ajuda para a Coreia do Norte em Davos

Durante mais de dois anos, quando o mundo enfrentada sucessivas vagas da pandemia de covid-19, a Coreia do Norte não confirmou qualquer caso de infeção, tendo reportado há quase duas semanas o primeiro surto.
Comentários