Parcerias Público-Privadas da Madeira com impacto de 132 milhões de euros em 2018

O executivo madeirense prevê antecipar o pagamento relativo à dívida à concessionária da Via Expresso num montante de 10 milhões de euros. Em 2017 as Parcerias Público-Privadas já estão a custar 133 milhões de euros.

O Orçamento do Estado da Madeira prevê uma verba de 132,8 milhões de euros, em 2018, relativamente às Parcerias Público-Privadas (PPP) da Região.

Nesta rubrica a Via Expresso tem um encargo previsto de 58,1 milhões de euros e a Via Litoral representa um custo de 74,7 milhões de euros em 2018.

Em 2019 o executivo prevê gastar mais 134,9 milhões de euros em 2019 e em 2020 mais 82,8 milhões de euros. As contas do Governo Regional fazem de 2018 e 2019 os anos de maior esforço financeiro, nesta altura, no dossier das PPP madeirenses.

O executivo explica que em 2017 “estão incluídos os valores previstos no Acordo de Regularização de Dívida da Viaexpresso” que concretizados farão diminuir “os encargos plurianuais previstos”.

O documento mostra também que as PPP estão a ter um impacto de 133,1 milhões de euros em 2017. O Governo Regional menciona também que ainda este ano se prevê gastar mais dinheiro neste dossier por via da “antecipação do pagamento do remanescente da dívida à concessionária da Via Expresso”, calculado em 10 milhões de euros.

Estes 10 milhões de euros, que vão ser antecipados, relativos à dívida da via expresso, diz o executivo regional estavam previstos serem pagos ao longo de 2018.

Recomendadas

Câmara do Funchal lança campanha gratuita de recolha de “monstros”

O Município justifica a importância desta campanha, dado o aumento da produção de resíduos na quadra natalícia que se avizinha e de forma a garantir uma maior proximidade com a população. Os munícipes deverão contactar as respetivas Juntas de Freguesias para a devida inscrição, de modo a solicitar a recolha dos “monstros” na sua residência.

Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos ficaram a mais de 30% acima dos valores de 2019

Entre janeiro e setembro de 2022, o movimento de passageiros nos aeroportos da RAM foi de aproximadamente 3.062,5 mil, significando um acréscimo homólogo de 134% e de 17% face aos valores registados nos primeiros nove meses de 2019. 

Madeira com défice de oito milhões de euros

À semelhança do ano anterior, mais de metade da despesa (51,9% da despesa total) foi canalizada para a área social, onde se destaca o sector da Saúde com uma execução orçamental de 280,3 milhões de euros e a Educação com 296,5 milhões de euros.
Comentários