Perspetivas para o turismo na Madeira

A cereja no topo do bolo seria finalmente a abertura a novos mercados através de rotas diretas entre a ilha e os Estados Unidos, facilitada graças aos novos e eficientes aviões Airbus 321LR ou XLR, por exemplo.

Como proprietário de uma nova unidade de turismo, tenho expetativas ambas favoráveis como preocupantes sobre a performance do nosso empreendimento durante o seu ano de estreia.

Por um lado, a Madeira continua a receber uma grande quantidade de turistas que também pernoitam um maior número de noites, em média, em comparação ao último ano.

Além disso, sou fiel crente de que estamos a experimentar uma nova tendência no turismo, com clientes que optam cada vez mais pelas experiências autênticas, ficando assim em alojamentos onde possam usufruir das atividades típicas da Região, amigas do ambiente, e onde criem verdadeiras amizades com os “locais” em vez das usuais interações estritamente comerciais.

A cereja no topo do bolo seria finalmente a abertura a novos mercados através de rotas diretas entre a ilha e os Estados Unidos, facilitada graças aos novos e eficientes aviões Airbus 321LR ou XLR, por exemplo.

Apesar das oportunidades, a Região possui taxas aeroportuárias e portuárias excessivamente elevadas em comparação com os outros destinos turísticos concorrentes – um risco para o nosso fluxo de hóspedes. Acrescentando a isto, devemos considerar também o incrível número de voos afetados pelas antiquadas regras de vento e aterragem em Santa Cruz (sem atualizar há mais de 50 anos) apesar da evolução na área aeronáutica.

Contudo, acabo num tom esperançoso, já que acredito que a classe política madeirense continuará a apostar fortemente no turismo – a fonte da nossa riqueza – tal como aconteceu com a nomeação da nova autoridade aeroportuária de perfil experiente e tecnocrático. Boas entradas, Madeira!

Recomendadas

PremiumDreaming of a Landscape lança novo single “RUSTIC”

Sendo originalmente um projeto a solo, levado a cabo por Diomar Rocha, este novo tema marca a primeira aposta num trabalho coletivo. No projeto DOAL, iniciado em 2017, integram agora André Paixão na bateria, Ricardo Paixão no baixo e Filipe Sousa na guitarra.

Premium“Do avião vi a estrela pular” exprime temáticas da adolescência e insularidade

Nesta exposição, o fotógrafo Igor Pjorrt apresenta um reportório de fotografias que vêm desde 2013 até 2021. A exposição está disponível até ao dia 30 de janeiro na Rua do Bettencourt, nº10, 3º andar, no Funchal.

Madeira: Bloco de Esquerda quer visão integrada para as pessoas em situação de sem-abrigo

Sílvia Ferreira explicou que o projeto “Co-Abrigo” é uma  habitação partilhada, que só foi possível concretizar através de doações, e que visa promover a integração social e o desenvolvimento de competências fundamentais à automatização pessoal e à gestão de uma vida quotidiana.
Comentários