Petróleo em máximos dita sentimento positivo nas bolsas europeias

“Um dos setores que está a captar uma maior atenção dos investidores é o petrolífero”, explicam os analistas do BPI Online. O brent tocou o valor mais elevado desde junho de 2015, ficando acima na fasquia dos 65 dólares.

O principal índice português, PSI 20, segue a negociar em alta em meio de sessão esta terça-feira, acompanhando as praças europeias em trajetória positiva. A bolsa portuguesa soma 0,41% para os 5.385,13 pontos, impulsionada pelas valorizações do BCP e do setor do retalho.

Em terreno positivo destacam-se as ações do BCP, que avançam 0,35% para os 0,259 euros, e as do setor do retalho. A Sonae soma 1,96% para os 1,094 euros e a Jerónimo Martins sobe 0,43% para os 16,300 euros.

A negociar no verde estão ainda a EDP Renováveis (0,69%), a NOS (0,68%) e a Semapa (1,31%). A Galp Energia destaca-se também entre os ganhos, ao beneficiar da subida do preço Brent, que tocou o valor mais elevado desde junho de 2015.

“Um dos setores que está a captar uma maior atenção dos investidores é o petrolífero. A cotação do crude está a reagir positivamente ao encerramento do oleoduto Forties no Mar do Norte após terem sido assinaladas diversas fraturas nesta infraestrutura”, explicam os analistas do BPI . No mercado petrolífero, o Brent sobe 1,55% para os 65,69 dólares por barril.

Já o crude WTI valoriza 0,79% para os 58,45 dólares, com os analistas a sublinharem que “as ações petrolíferas europeias poderão beneficiar ainda do bom desempenho dos seus pares americanos”.

Em contraciclo a EDP recua 0,34% para os 2,937 euros. A acompanhar as perdas da energética estão também a Altri (-0,54%), a Pharol (-1,29%) e a REN (-0,20%).

Os analistas do BPI chamam ainda à atenção para as perdas dos CTT, que descem 0,70% para os 3,395 euros. “Embora nos últimos dias tenham surgido algumas notícias na imprensa relacionadas com a empresa, a recuperação em curso parece ser mais de natureza técnica”, afirma o BPI Online.

Nas praças europeias, o alemão DAX soma 0,18%, o francês CAC 40 avança 0,49%, o britânico FTSE 100 sobe 0,29%, o holandês AEX soma 0,57% e o italiano FTSE MIB valoriza 0,21%. Em sentido contrário, o espanhol IBEX 35 recua 0,22%.

A marcar esta terça-feira estão também os dados da inflação no Reino Unido, com uma aceleração para 3,1% em novembro, o que representa um máximo de quase seis anos. A maior contribuição para o crescimento deste índice deve-se às tarifas aéreas, que caíram entre outubro e novembro, e aos jogos de computador.

Também na Alemanha, a confiança dos investidores terá  piorado em dezembro, apesar de as dúvidas sobre a formação de um novo governo não ter influenciado significativamente as expectativas conjunturais.

Recomendadas

PremiumReserva Federal penaliza mercados

A postura mais ‘hawkish’ do que o esperado do banco central norte-americano empurra os mercados para perto de mínimos do ano.

Wall Street encerra semana com principais índices a perder mais de 1,50%

O Dow Jones encerrou o dia a ceder 1,62% para 29.590,41 pontos, o S&P500 a perder 1,67% para 3.695,10 pontos e o tecnológico Nasdaq a recuar 1,80% para 10.867,93 pontos.

Euro e libra recuam para mínimos de décadas face ao dólar

O euro e a libra terminaram hoje a semana a recuar para mínimos de décadas face ao dólar, com as moedas europeias pressionadas por receios de recessão e o dólar a beneficiar do estatuto de ativo seguro.
Comentários