Plano de recuperação da Soares da Costa recebeu o aval da CGD

Construtora pediu aos credores o perdão de metade das dívidas tanto financeiras não garantidas como dívidas vencidas a fornecedores.

Lisboa 17/08/2011 – António Costa Henriques, CEO do Grupo Soares da Costa durante a Apresentação dos resultados semestrais do Grupo Soares da Costa.

A maioria dos credores da Soares da Costa aprovaram o Processo Especial de Revitalização (PER) da construtora, mas foi a mudança de voto da Caixa Geral de Depósitos (CGD) que viabilizou a proposta, segundo noticia este sábado o jornal Público. O banco público terá mudado o voto em relação ao plano inicial e juntou-se aos quase 80% dos credores que votaram favoravelmente.

Os detentores da dívida da Soares da Costa votaram o PER no dia 11, de acordo com o Público, com 79,45% a favor e 16,01% contra, enquanto os restantes não se manifestaram. O resultado terá de ser homologado pelo Tribunal de Gaia, que rejeitou a proposta anterior.

Segundo o Público, o resultado da votação do PER só deveria ter sido conhecido na segunda-feira, mas acabou por se precipitar devido à mudança de voto da CGD, que tinha rejeito o plano inicial. Desta vez, os votos contra terão sido do Bankinter, Banco Popular e BPI. O BIC voltou também a votar contra. A Soares da Costa pediu aos credores o perdão de metade das dívidas tanto financeiras não garantidas como dívidas vencidas a fornecedores.

Recomendadas

Comparadora de seguros HelloSafe recebe mais quatro milhões para expandir em Portugal

“Este financiamento irá apoiar a nossa ambição de nos tornarmos a plataforma internacional número um em Portugal para comparar produtos financeiros e de seguros”, diz Oleksiy Lysogub, cofundador da empresa canadiana. ‘Insurtech’ vai contratar 40 pessoas.

Costa Silva: Próximos anos não vão ser “cor-de-rosa” para a economia portuguesa

António Costa Silva, ministro da Economia, afirma que “não é com receitas do passado que vamos resolver os problemas”, defendendo que “para resolver os problemas de curto prazo, precisamos de uma visão de longo prazo”.

Tribunal de Contas não afasta cenário de novas injeções de capital no Novobanco

O juiz conselheiro relator do relatório da auditoria do Tribunal de Contas à gestão do Novobanco, José Quelhas, referiu hoje que não está afastado o cenário de novas injeções de dinheiro público no ex-BES.
Comentários