Portugal e São Tomé e Príncipe assinam acordo de cooperação na Defesa

“É um programa que vai prolongar e reforçar aquilo que são já mais de três décadas de cooperação entre países amigos que têm vindo ao longo destas décadas a aprofundar os laços que nos unem e a grande amizade que nos une”, afirmou a ministra da Defesa Nacional de Portugal, Helena Carreiras.

A ministra da Defesa Nacional de Portugal e o seu homólogo são-tomense assinaram hoje em São Tomé, o novo acordo de cooperação (2021-2025) no domínio da Defesa, com reforço das ações de formação e segurança marítima são-tomense.

“É um programa que vai prolongar e reforçar aquilo que são já mais de três décadas de cooperação entre países amigos que têm vindo ao longo destas décadas a aprofundar os laços que nos unem e a grande amizade que nos une”, afirmou a ministra da Defesa Nacional de Portugal, Helena Carreiras.

A ministra sublinhou que o acordo vai dar continuidade a “capacitação e qualificação das pessoas, na medida em que isso é de facto o mais importante e permitirá ter um efeito multiplicador” no trabalho dos dois países.

Segundo Helena Carreiras, Portugal já formou mais de 200 quadros são-tomenses no âmbito da cooperação entre os dois países, que envolve também as “áreas da segurança marítima, da vigilância e fiscalização, o apoio à guarda costeira de São Tomé” e “a importante área da saúde” militar onde são desenvolvidos “programas de treino e de cooperação muito expressivo”.

“Temos um programa-quadro que vem reforçar estas áreas de capacitação, de qualificação, de treino e de apoio também em termos de infraestruturas, equipamentos”, disse a ministra da Defesa Nacional de Portugal.

Helena Carreiras referiu-se também a novas áreas como a criação da célula de cooperação civil militar (CIMIC) da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) visando a preparação dos militares dos países membros da organização “para participação conjunta de militares em operações de paz da ONU”.

“Vamos disponibilizar em Portugal uma formação/estágio específico para este efeito”, sublinhou Helena Carreiras.

O ministro da Defesa Nacional de São Tomé e Príncipe, Jorge Amado, considerou que a assinatura do novo acordo da Defesa representa o “excelente nível de relacionamento, vontade recíproca e aprofundamento da cooperação” entre São Tomé e Príncipe e Portugal.

“Particularmente na área da Defesa, não posso deixar de destacar o esforço de Portugal, em apoiar-nos em diversos domínios: na formação dos são-tomenses em Portugal, na cedência de alguns meios e equipamentos, o que tem permitido atenuar as nossas carências mais preocupantes -, e sobretudo na manutenção em São Tomé, de modo contínuo de uma reduzida e eficiente equipa militar portuguesa”, afirmou Jorge Amado.

Após a assinatura do acordo de cooperação, a ministra da Defesa de Portugal encontrou-se com o primeiro-ministro são-tomense, Jorge Bom Jesus, e logo depois com o Presidente da República, Carlos Vila Nova.

Em seguida, Helena Carreiras visitou ao Centro de Saúde Militar de São Tomé e esta tarde visita o Centro Cultural Português e ainda ao N.R.P. Zaire, navio-patrulha da Marinha Portuguesa, que desde 2018 se encontra em missão em São Tomé e Príncipe, no âmbito de um acordo bilateral.

Este navio-patrulha visa contribuir para a formação da guarda costeira são-tomense, reforçar a vigilância e a fiscalização dos espaços marítimos neste país e a segurança na região do Golfo da Guiné.

Recomendadas

Câmara de Lisboa alerta para “chuva persistente” prevista para sábado à noite

A autarquia pediu para que a população tome precauções. A Câmara de Lisboa disse que os agentes de Proteção Civil da cidade, os serviços operacionais municipais e elementos das Juntas de Freguesia “estão de prevenção para a mais pronta resposta à cidade”.

Novo comandante da GNR da Guarda afirma-se intolerante a atos racistas e xenófobos

O novo comandante disse que não vai tolerar “comportamentos ou atos de discriminação, racismo, xenofobia, ou qualquer outra forma que atente contra a dignidade humana e os direitos fundamentais”.

Ucrânia: secretário-geral da NATO teme que conflito alastre para guerra global

O secretário-geral da NATO alertou que os combates na Ucrânia podem sair do controlo e o atual conflito transformar-se numa guerra entre a Rússia e a NATO.
Comentários