Preço médio dos arrendamentos aumentou 4,2% na Madeira

A RAM foi a terceira região do país das NUTS III (que compreendem 25 regiões) com o valor mediano das rendas mais elevado (6,98 euros/m2), atrás da Área Metropolitana de Lisboa (9,10 euros/m2) e do Algarve (7,12 euros/m2). A média nacional corresponde a 6,16 euros/m2.

No primeiro trimestre de 2022, o valor mediano das rendas dos 360 novos contratos de arrendamento de alojamentos familiares, celebrados na Região Autónoma da Madeira (RAM), foi de 6,98 euros por metro quadrado, um aumento de 4,2% relativamente ao trimestre anterior, segundo dados da Direção Regional de Estatística da Madeira, apurados no Instituto Nacional de Estatística (INE). Houve também um acréscimo de novos contratos de 25,9% face ao trimestre anterior.

Comparativamente ao primeiro trimestre de 2021, registou-se um aumento tanto no número de novos contratos, como no valor das rendas, de +16,9% e de +18,3%, respetivamente.

A RAM foi a terceira região do país das NUTS III (que compreendem 25 regiões) com o valor mediano das rendas mais elevado (6,98 euros/m2), atrás da Área Metropolitana de Lisboa (9,10 euros/m2) e do Algarve (7,12 euros/m2). A média nacional corresponde a 6,16 euros/m2.

Dos 360 novos arrendamentos, 250 foram só no Funchal, traduzindo um aumento trimestral de 33,7% e homólogo de 23,2%. O valor mediano dos contratos nesse concelho foi de 7,83 euros/m2, variando entre -1,1% em cadeia (ou seja, face ao trimestre anterior) e +17,2% em termos homólogos.

Comparando o Funchal aos outros municípios do país, o concelho ocupa o décimo lugar em termos de renda mais elevada, depois de Lisboa, Porto e de municípios que fazem parte das Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto.

Recomendadas

Taxa de desemprego na Madeira cai 0,2 pontos percentuais

A taxa de desemprego na Madeira fixou-se em 7,3% no segundo trimestre deste ano, menos 0,2 pontos percentuais (p.p) em relação ao anterior e menos 1,1 p.p face ao mesmo período do ano passado, foi hoje anunciado.

Governo da Madeira apoiou 39 desempregados a criarem o próprio negócio este ano

Desde a criação do programa, em 2015, o Instituto de Emprego da Madeira “aprovou 456 projetos de criação da própria empresa, num total de 790 postos de trabalho, o que representa um investimento global de 7,86 milhões de euros”, salienta a tutela numa nota distribuída à comunicação social.

CDS: Problemas dos trabalhadores da Águas e Resíduos da Madeira serão resolvidos “a médio prazo”

O CDS fala ainda de uma “perspetiva positiva” no que diz respeito a um compromisso, realizado “em breve” com a Câmara Municipal do Funchal (CMF), para que o município passe a pagar na íntegra os custos que existem atualmente, quer com os resíduos, quer com as águas, e que passem a pagá-los a 100%.
Comentários