Presidente do BAD quer duplicação do capital do Fundo Africano de Desenvolvimento

O Presidente do Banco Africano de Desenvolvimento celebrou os 50 anos do Fundo Africano de Desenvolvimento (FAD), que quer mais poderoso para fazer face aos desafios.

4 – Marrocos

O Presidente do Banco Africano de Desenvolvimento celebrou os 50 anos do Fundo Africano de Desenvolvimento (FAD) desejando que o seu capital acumulado, atualmente de 25 mil milhões de dólares, possa um dia ser o dobro.

“Espero que um dia o ‘FAD aos 50’ [como tem sido chamado para assinalar o 50.º aniversário] possa ser ‘FAD aos 50 mil milhões de dólares’” (46 mil milhões de euros), disse Akinwumi A. Adesina na cerimónia de comemoração dos 50 anos do fundo, o braço concessional do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), durante os encontros anuais da instituição, em Acra.

Chamando ao FAD “o fundo com coração”, Adesina fez um balanço do trabalho do fundo, que financia projetos nos países mais frágeis e vulneráveis de África.

Em 50 anos, disse, o FAD financiou 2.750 projetos, operações que transformaram a vida de milhões de pessoas.

“Só nos últimos cinco anos, ligou 15,5 milhões de pessoas à eletricidade; apoiou 74 milhões de pessoas com acesso melhorado a agricultura; facilitou a 50 milhões de pessoas acesso a transporte, a 42 milhões de pessoas acesso melhorado a água e saneamento”, exemplificou.

Recordou também que o Centro para o Desenvolvimento Global, uma instituição sem fins lucrativos sediada em Washington que se concentra no desenvolvimento internacional, classificou o FAD como o 2.º melhor fundo de desenvolvimento no mundo, acima de 49 instituições bilaterais e multilaterais com base na qualidade da sua assistência.

“O FAD aos 50 tem também 25 mil milhões de dólares (23 milhões de euros) em capital próprio. Temos falado com os nossos parceiros para investirmos ainda mais inteligentemente. Para usarmos esses 25 mil milhões para alavancarmos 33 mil milhões de dólares (30 mil milhões de euros) e darmos mais esperança”, defendeu.

Já na sessão de abertura dos encontros anuais, que começaram na segunda-feira e terminam na sexta-feira em Acra, capital do Gana, o Presidente ganês, Nana Akufo-Addo, aplaudiu os FAD “pelo seu jubileu de ouro”.

“Investir cerca de nove mil milhões de dólares (8,3 mil milhões de euros) nos últimos cinco anos, depois de uns iniciais 327 milhões de dólares (304 milhões de euros) em 1976, é nada menos do que exemplar”, disse.

Em declarações à Lusa à margem dos encontros anuais do BAD, o economista-chefe do banco, Kevin Urama, disse esta semana que o BAD está a pedir à comunidade internacional um reabastecimento do FAD superior ao habitual para permitir financiamento concessional aos países vulneráveis afetados pelas alterações climáticas, a guerra na Ucrânia e outros desafios.

E pede também que este fundo seja autorizado a recorrer ao mercado de capitais para conseguir alavancar cada dólar que recebe por quase quatro vezes, para que estes países recebam mais do que os doadores oferecem.

Recomendadas

Israel abateu três drones do Hezbollah no Mediterrâneo

O exército israelita afirmou hoje que abateu três drones do grupo xiita libanês Hezbollah e que se dirigiam a um campo de gás no Mediterrâneo, numa área marítima disputada pelos dois países.

Manifestações pelo direito ao aborto reúnem milhares em França

Várias manifestações ocorreram hoje em França em defesa do direito ao aborto e para manifestar apoio às mulheres norte-americanas, depois da decisão, na semana passada, do Supremo Tribunal dos Estados Unidos, de revogar esse direito.

Marcelo parte para São Paulo ainda sem “comunicação por escrito” de Bolsonaro

O chefe de Estado português afirmou hoje, antes de partir do Rio de Janeiro para São Paulo, que continua sem receber nenhuma “comunicação por escrito” do Presidente do Brasil a cancelar o almoço de segunda-feira em Brasília.
Comentários