Professores contratados vão ter de devolver parte do subsídio de Natal (com áudio)

Professores ouvidos pelo “DN” explicam que existem escolas que optam por pagar o 13º mês, e que não compreendem a decisão de devolver o dinheiro,.

Professores contratados até ao final do ano letivo pelo Ministério Público e que receberam o subsídio de Natal por inteiro vão ter que devolver uma parte do valor, revela o “Diário de Notícias”. A decisão da devolução de parte do subsídio foi comunicada aos docentes pelas secretarias da escolas, sendo que o pedido surgiu do Instituto de Gestão Financeira da Educação.

A situação da devolução prende-se porque os professores foram contratados em setembro, tendo direito a quatro meses de subsídio (quatro doze avos), em vez do valor por completo, dado que não trabalham desde janeiro.

Professores ouvidos pelo “DN” explicam que existem escolas que optam por pagar o 13º mês, e que não compreendem a decisão de devolver o dinheiro, sendo que esta contribui ara a “instabilidade dos contratados”. Muitos professores tiveram de proceder ao ajuste com as Finanças num prazo máximo de 48 horas.

À publicação, os sindicatos dos professores falam em desrespeito para com os docentes enquanto a Associação Nacional de Diretores Escolares critica a forma como a situação foi gerida, embora entenda que o subsídio não deveria ter sido pago na sua totalidade.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Famílias e empresas deverão sentir aumento dos juros no primeiro semestre de 2023

Previsão da Allianz Trade aponta também que os critérios para a atribuição de crédito às famílias e empresas já estão a ter um maior impacto no último trimestre deste ano.

Foram criadas quase tantas empresas este ano como em 2019

Os primeiros 11 meses de 2022 ficaram marcados por um crescimento do número de novas empresas e por um recuo das insolvências. Isto apesar da incerteza e da subida dos custos, que acabou por ser agravada pela guerra na Ucrânia.
Comentários