Programa da EDP para acelerar startups do sector energético já abriu candidaturas

A EDP lança a sétima edição do ‘Energy Starter’, o programa para startups que pretendem impulsionar a transição energética a nível mundial. A edição de 2022 terá três módulos, focados em energias renováveis, redes e soluções para clientes.

O ‘Energy Starter’ abriu as candidaturas para startups com soluções digitais no setor energético. Em comunicado a EDP diz que “acaba de lançar a sétima edição do ‘Energy Starter’, o programa criado com a missão de unir startups do setor energético a especialistas da EDP para desenvolver soluções inovadoras no setor”.

A edição de 2022 terá três módulos, focados em energias renováveis, redes e soluções para clientes.

Ao longo das seis edições já realizadas, mais de 150 startups participaram no ‘Energy Starter’, tendo realizado mais de 80 negócios (pilotos, rollouts e investimentos). Na última edição, o programa recebeu mais de 700 candidaturas.

“Nesta edição, o programa foi repensado para maximizar a produtividade da relação entre as startups e as unidades de negócio da EDP. Por isso, estará dividido em três módulos de aceleração especializados – Redes do Futuro, Energias Renováveis e Soluções para Clientes”, explica a empresa que anuncia que as candidaturas para o primeiro módulo desta edição, ‘Future Grids’, estão abertas até 1 de junho, através do website do programa.

Neste primeiro ciclo, startups de todo o mundo são convidadas a apresentar soluções inovadoras relacionadas com novas redes energéticas, gestão e operação de redes, interação de mercado, experiência do cliente, gestão de ativos, cidades inteligentes, entre outros.

Após o processo de candidatura e avaliação, as startups selecionadas vão participar num bootcamp desenvolvido em parceria com a Beta-i onde, durante quatro meses, trabalharão em conjunto com a EDP para desenvolver projetos-piloto.

“Estas equipas terão ainda acesso a um conjunto vasto de mentores e especialistas que vão apoiar o desenvolvimento de provas de conceito relevantes e contarão, também, com o expertise da EDP Ventures”, explica a empresa.

A cada quatro meses, o programa passará para o módulo seguinte, percorrendo desta forma toda a cadeia de valor da EDP.

“O segundo módulo centrar-se-á nas energias renováveis – área em que a EDP tem o objetivo ambicioso de desenvolver mais 20GW até 2025 – e no hidrogénio. O último módulo será focado em soluções de cliente e mobilidade, onde se pretende identificar e desenvolver soluções direcionadas para os consumidores, facilitando a transição para a mobilidade elétrica e a adoção de soluções de geração distribuída”, explica a EDP que diz ainda que o programa terminará num evento onde as soluções desenvolvidas nos vários módulos serão partilhadas com o ecossistema.

“A edição deste ano do ‘Energy Starter’ é disruptiva na forma como a EDP têm vindo a evoluir nos seus programas de inovação aberta. Estamos a lançar três fases que nos permitirão ir mais fundo na procura de soluções para cada um dos nossos pilares estratégicos”, refere Luís Manuel, administrador da EDP Inovação, na nota.

Recomendadas

‘Pitch at the Beach’. 30 startups vão apanhar sol e quiçá investimento

O evento de empreendedorismo começa este sábado na marina de Oeiras. Há 14 empresas portuguesas que vão fazer ‘pitch’ para investidores nacionais e internacionais. O capital disponível chega aos 77 milhões de euros.

CTT procuram startups para programa de inovação aberta em mobilidade

As candidaturas estão abertas até ao dia 9 de julho. A empresa que for escolhida terá mentorias e ‘bootcamps’ ao longo de oito meses e receberá um financiamento de 35 mil euros do Instituto Europeu da Inovação e da Tecnologia.

Portugueses da Bynd investem na startup Zenrows

A empresa espanhola, que fechou uma ronda de investimento de 1,1 milhões de euros, dedica-se a melhorar a gestão dos dados web das empresas.
Comentários