Reforma da supervisão financeira recebida com reticências pelas seguradoras

Fórum Seguros, organizado pelo Jornal Económico e pela PwC, reuniu principais intervenientes do setor.

A proposta de reforma da supervisão financeira avançada na semana passada pelo Governo foi encarada com reservas pelos responsáveis do setor segurador presentes no Fórum Seguros, organizado pelo Jornal Económico e pela PwC.

Para caracterizar a forma como tem funcionando a supervisão, Nelson Machado, CEO da Ocidental Vida, cita a sabedoria popular: “Em equipa que vence, não se mexe”. Na sua ótica, este modelo prima pela distinção dos vários papéis, agindo sempre com “profissionalismo e rigor”.

Para Jan de Pooter, CEO da Tranquilidade, o setor precisa de estabilidade “para aprender” e só depois se deve dar novos passos. Já Isabel Castelo Branco, presidente da BPI Vida e Pensões, frisou que “a relação entre o setor e o regulador é muito relevante”, mas não vê necessidade de alterações bruscas”.

“Há um processo de aprendizagem sobre as exigências de supervisão e, por isso, acho pouco recomendável fazer alterações muito radicais, especialmente numa altura de taxas de juro baixas, com o setor fragilizado”, acrescentou Isabel Castelo Branco. “Preferia uma abordagem mais gradual”.

Recomendadas

CGD vai continuar com uma posição de capital acima da média da Europa, diz Paulo Macedo

O presidente da Comissão Executiva da CGD disse hoje que o banco vai continuar com uma das maiores redes de agências e com uma posição de capital acima da média da Europa e acima dos bancos portugueses.

Oracle e tecnológica portuguesa modernizam sistemas de quatro Caixas Agrícolas

As instituições bancárias do Bombarral, Chamusca, Mafra e Torres Vedras vão implementar novas soluções de banca digital ao longo dos próximos dois anos. O projeto, que decorre até 2024, envolve a migração de dados para a ‘cloud’.

Sindicatos bancários mantêm proposta de revisão salarial para trabalhadores do BCP

Os sindicatos consideram que a proposta do BCP “não é suficiente, nem ajustada à realidade”. E prometem continuar a lutar por uma “atualização justa” para os bancários do banco liderado por Miguel Maya.
Comentários