PS diz que chumbo ao Orçamento do Funchal “inviabiliza o bem-estar da população”

O PS diz que a atitude que a “tamanha imaturidade, irresponsabilidade e insensibilidade” manifestada pela oposição, coloca em causa cerca de 30 milhões de euros de investimento público.

A concelhia do Funchal do PS considerou que o chumbo ao Orçamento Municipal, para 2021, por parte da oposição “é um ataque aos munícipes” e coloca em causa os projetos da autarquia que visam melhorar as condições de vida na cidade e inviabiliza o bem-estar da população.

O presidente da concelhia, Gonçalo Jardim, diz que o chumbo do Orçamento, no valor de 104 milhões de euros, coloca em causa “cerca de 30 milhões de euros de investimentos públicos”.

O socialista reforça que a rejeição do Orçamento Municipal “coloca em risco o apoio social aos mais carenciados, o investimento nas melhorias habitacionais e na construção de novos fogos de habitação social – para o qual estava destinada uma verba de 1,5 milhões de euros –, a atribuição de bolsas de estudo aos estudantes do ensino superior, a distribuição de manuais escolares e a realização de diversas obras nas zonas altas do Funchal, inclusive em freguesias que são governadas por juntas de freguesia do PSD. Deste modo, a oposição inviabiliza investimentos em prol do bem-estar da população que tanto diz defender”.

Gonçalo Jardim diz que não entende como se pode chumbar “investimentos investimentos de substituição e reparação de redes de água potável, de modo a controlar as perdas e prestar um melhor abastecimento aos munícipes”. O socialista sublinha que só em obras ligadas a água potável, águas pluviais e saneamento básico, a “atitude irresponsável da oposição coloca em causa mais de 10 milhões de euros de investimento”.

O presidente da concelhia refere que no ano anterior o PSD e CDS-PP, também chumbaram o Orçamento, castigando todos os funchalenses e “privando-os desta ferramenta essencial” para o governo da autarquia.

“Não obstante, salientam que, mesmo manietado pelos constrangimentos de ter de governar com base no orçamento de 2019, o executivo municipal nunca baixou os braços”, afirmou.

Gonçalo Jardim diz que agora “não há qualquer desculpa para esta atitude de desprezo para com a democracia”, e critica o PSD e CDS-PP por “voltaram a juntar esforços para castigarem a população, privando-a do reforço de verbas para áreas como a Educação, o Apoio Social e a Cultura”.

A concelhia do PS contudo mostra-se convicta de que o presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, e o restante executivo municipal vai fazer “todos os possíveis para dar uma resposta condigna às situações mais urgentes”.

Os socialistas reforçam que na altura certas os eleitores vão saber dar a resposta condizente com esta “tamanha imaturidade, irresponsabilidade e insensibilidade” manifestada pela oposição.

Relacionadas

Orçamento do Funchal chumbado pela Assembleia Municipal

O Orçamento Municipal teve a aprovação da Coligação Confiança, que sustenta o executivo, a abstenção da CDU, PTP e deputado independente, Orlando Fernandes, e o voto contra do PSD e CDS-PP. As grandes opções do plano foram aprovadas.

Funchal: CDS-PP justifica voto contra Orçamento por este “não ter visão de futuro” para a cidade

Os centristas lembram que o partido “não está na política para dividir o eleitorado, nem tão pouco enfraquecer a construção de uma alternativa ao socialismo”, e que “não pode deixar de reclamar a execução de medidas que foram aprovadas, que não passaram do papel, e que fariam muita diferença na vida daqueles que vivem, estudam e trabalham na nossa cidade”.
Recomendadas

Savoy Palace vence Portugal’s Leading Luxury Hotel nos World Travel Awards pelo segundo ano consecutivo

O hotel conta com assinatura da designer Nini Andrade da Silva, combinando estilos arrojados, modernos e históricos. O Savoy Palace fica a uma curta caminhada do centro histórico do Funchal e abriga o Laurea Spa, com 3.200 m2 e inspirado na Floresta Laurissilva da Madeira, Património Natural da UNESCO.

Madeira: Novos contratos de arrendamento diminuíram enquanto valor por metro quadrado cresceu

Entre as 25 regiões NUTS III, a RAM posicionou-se como a quarta região com o valor mediano das rendas mais elevado, atrás da Área Metropolitana de Lisboa, do Algarve e da Área Metropolitana do Porto.

Madeira: Sociedade Metropolitana de Desenvolvimento disponibiliza máquina ATM Express na Praça CR7

As caixas ATM são especialmente direcionadas para os turistas, sector que têm vindo a atingir valores históricos na Região.
Comentários