Raríssimas: CDS-PP insiste em questionar Vieira da Silva por escrito

O CDS-PP anunciou hoje que vai insistir por escrito com questões dirigidas ao ministro da Segurança Social, Vieira da Silva, e a sua relação com a associação Raríssimas, que considera não terem sido cabalmente esclarecidas em comissão parlamentar.

Cristina Bernardo

“Ficaram por responder várias questões e o CDS não está satisfeito com as explicações”, declarou o deputado centrista António Carlos Monteiro, em conferência de imprensa no parlamento, acompanhado pelo também deputado e porta-voz do partido, João Almeida.

As questões do CDS vão desde o paradeiro da carta com uma denúncia da Federação de Doenças Raras (FEDRA), enviada à Segurança Social, ao conteúdo do documento que Vieira da Silva estará a assinar durante a celebração de um protocolo entre a Raríssimas e uma federação sueca, até ao conhecimento dos “gastos excessivos” da instituição e a consultoria paga pela associação a Manuel Delgado.

Relacionadas

Respostas rápidas: O que disse Vieira da Silva no Parlamento sobre a Raríssimas?

Vieira da Silva foi ouvido no Parlamento sobre ligações à Raríssimas. Audição surge depois de suspeitas de gestão danosa na Associação onde o governante foi vice-presidente da assembleia geral entre 2013 e 2015.

Investimento público na Raríssimas superou dois milhões de euros, segundo Vieira da Silva

O ministro do Trabalho, que foi vice-presidente da assembleia-geral da Raríssimas entre 2013 e 2015, garantiu várias vezes que não houve qualquer favorecimento por parte do Estado ou do Governo à associação.

Vieira da Silva: Segurança Social abriu processo à Raríssimas em julho

“A investigação é da competência do Ministério Público e quando o Ministério Público está a investigar, os serviços do ministério não estão em competição”, afirmou Vieira da Silva, no Parlamento.

“Nunca retirei nenhum benefício pessoal”, garante Vieira da Silva sobre a Raríssimas

O ministro do Trabalho e da Segurança Social garante que não houve nenhum favorecimento à associação Raríssimas. No Parlamento, acaba de assegurar que não existiu, da sua parte e da equipa que o acompanhava, qualquer negligência relativamente à análise de denúncias relativas a esta associação.
Recomendadas

Vitor Ramalho confessa ter deixado o PS em 2012 em rutura com António Seguro

O ex-dirigente socialista lembra que a disponibilidade manifestada por António Costa para se candidatar a secretário-geral do PS só aconteceu depois, em 2014, após as eleições para o Parlamento Europeu.

Aeroporto: Jerónimo de Sousa acusa PS e PSD de adiarem decisão de localização

“PS e PSD estão a tentar entender-se para um novo adiamento da construção do novo aeroporto”, afirmou Jerónimo de Sousa aos jornalistas, à margem de uma visita a uma exploração agrícola na Lourinhã, no distrito de Lisboa.

PS salienta à FRELIMO “cumplicidade” entre portugueses e moçambicanos

Na mensagem que dirigiu ao congresso da FRELIMO, que decorre até quarta-feira, Carlos César transmite também uma saudação a esta força política moçambicana do secretário-geral do PS e primeiro-ministro português, António Costa.
Comentários