Raríssimas: “Havia um pressuposto de que as coisas foram feitas na legalidade”, realça diretor da Casa dos Marcos

Nuno Branco disse ainda que a direção está a “ponderar” apresentar a demissão.

Nuno Branco, diretor da Casa dos Marcos, a principal unidade de cuidados da Raríssimas, pronunciou-se hoje sobre a polémica em torno da associação.

Em declarações aos jornalistas, Branco afirmou que a Raríssimas “é uma estrutura altamente profissionalizada”, com “técnico Oficial de Contas, contas auditadas, tesoureiros”. Como tal, continuou, havia “todo um pressuposto de que as coisas foram feitas na legalidade” e “com correção”.

Se determinadas despesas são “justificadas” e “apresentadas” pela presidente, vice-presidente e “um tesoureiro”, como sendo necessárias ao “serviço” da instituição, prosseguiu Branco, “a demais direção não o vai estar a colocar em causa”. isto apesar de, disse hoje ter “estranhado” algumas decisões tomadas por Paula Brito e Costa.

Nuno Branco disse ainda que a direção está a “ponderar” apresentar a demissão.

Relacionadas

Raríssimas: Inspetores da Segurança Social visitam Casa dos Marcos

O ministro do Trabalho e da Segurança Social, Vieira da Silva, já tinha afirmado que as autoridades “estavam no terreno”.

Vieira da Silva sobre a Raríssimas: “Estou de consciência tranquila”

O ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social voltou a responder às questões sobre os testemunhos de gestão danosa da associação Raríssimas.

Estado financiou 5 milhões de euros à Raríssimas em cinco anos

Em causa estão os 2,7 milhões de euros da Segurança Social e 2,3 milhões de euros do Ministério da Saúde.

PSD exige “sistemático acompanhamento” das IPSS

Deputados social democratas reclamam acompanhamento destas instituições quer quanto à sua atividade quer quanto à sua gestão, na sequência do caso de gestão da Associação Portuguesa de Doenças Raríssimas em que são denunciadas graves irregularidades. E querem saber qual a regularidade inspetiva que é afeta ao setor.

Raríssimas: Ex-presidente revela que se demitiu para dar “serenidade” à investigação

Paula Brito e Costa revelou à RTP os motivos pelos quais apresentou a demissão da associação.
Recomendadas

Câmara de Lisboa alerta para “chuva persistente” prevista para sábado à noite

A autarquia pediu para que a população tome precauções. A Câmara de Lisboa disse que os agentes de Proteção Civil da cidade, os serviços operacionais municipais e elementos das Juntas de Freguesia “estão de prevenção para a mais pronta resposta à cidade”.

Novo comandante da GNR da Guarda afirma-se intolerante a atos racistas e xenófobos

O novo comandante disse que não vai tolerar “comportamentos ou atos de discriminação, racismo, xenofobia, ou qualquer outra forma que atente contra a dignidade humana e os direitos fundamentais”.

Ucrânia: secretário-geral da NATO teme que conflito alastre para guerra global

O secretário-geral da NATO alertou que os combates na Ucrânia podem sair do controlo e o atual conflito transformar-se numa guerra entre a Rússia e a NATO.
Comentários